Projeto Escola Sem Partido deve ser votado somente em 2018

Por BandNews FM
Câmara Municipal de São Paulo - Fotoarena/Folhapress
Projeto Escola Sem Partido deve ser votado somente em 2018

O projeto que institui a "escola sem partido" na rede municipal em São Paulo será votado só depois do carnaval. A previsão é do vereador Eduardo Tuma, do PSDB, um dos autores do texto.

Nesta terça-feira (12), guardas civis e estudantes entraram em confronto na Câmara após uma manifestação contra o projeto.

Em entrevista à Rádio Bandeirantes, Eduardo Tuma rebateu as críticas de que a lei vai censurar os professores.

O projeto determina que o docente “não deverá se aproveitar da audiência cativa dos alunos, para promover os seus próprios interesses, opiniões, concepções ou preferências ideológicas, religiosas, morais, políticas e partidárias.”

As diretrizes da lei deverão ser impressas em cartazes que serão espalhados pelas salas de aula. Mas a vereadora Sâmia Bonfim, do PSOL, acha que a medida pode prejudicar o relacionamento de alunos e professores.

Loading...
Revisa el siguiente artículo