Colégios do ABC elegem celular novo aliado e introduzem apps para ajudar no ensino

Por Vanessa Selicani - Metro ABC
João Pedro, 12 anos, e Júlia, 13, estudantes do Liceu Jardim, em Santo André | - Alessandro Valle/Abcdigipress
Colégios do ABC elegem celular novo aliado e introduzem apps para ajudar no ensino

Lições de casa compartilhadas e acompanhadas em tempo real pelas escolas, exercícios corrigidos com um clique, agendas de papel aposentadas e conteúdo muito mais atraente para a nova geração. As escolas do ABC estão mudando de cara e incluindo em sua lista de material muito mais que lápis, caderno e livros. Os aplicativos aparecem hoje como ferramenta essencial para facilitar a vida estudantil, ampliar fronteiras e, principalmente, deixar a sala de aula muito mais parecida com a realidade dos jovens.

A inserção da tecnologia chega com uma ferramenta até pouco tempo vista como vilã pelos professores: o celular. O objeto foi liberado apenas no mês passado nas escolas públicas estaduais.

Mas a expansão do acesso aos smartphones fez com que a tecnologia fosse inserida nas novas experiências. O uso, porém, ainda traz dúvidas sobre a capacidade de concentração dos alunos.

“Os celulares e o acesso à internet foram liberados,  mas com restrições e controle. Com o uso dos aplicativos, os estudantes vão assumir o protagonismo em sala de aula e o professor será um guia.  Mas eles têm que ter consciência que estão na escola, em um espaço de formação exigente, não para diversão. Saber lidar com isso vai ser um desafio para essa geração”, disse o diretor presidente do Colégio Liceu Jardim, em Santo André, Daniel Contro.

A escola apresentou ontem nova parceria para inserir ferramentas do Google for Education na grade de ensino. Os estudantes terão acesso a 48 aplicativos, com funções como realizar deveres de casa em rede, responder a exercícios em sala e ter correção em tempo real. O colégio particular criou também uma Diretoria de Tecnologia Educacional para tratar do tema e quer mudar a disposição das salas de aula.

A Cycle International School, em Santo André, voltada para ensino até os 8 anos de idade, também anunciou nesta semana a adoção da tecnologia. Neste caso, o aplicativo vai substituir a agenda. “Antigamente existiam problemas com o peso na mochila, a criança esquecer de levar ou pais separados em que só um tinha acesso. A agenda passou para dentro do aplicativo, com mais informações como o cardápio, se o aluno comeu ou  não, fotos das atividades, vídeos, avisos. Foi uma forma de trazer os pais para dentro da escola”, disse a diretora da Cycle, Camila do Nascimento Siqueira.

A tecnologia tem espaço também na rede pública. Em São Caetano, a professora da Escola Municipal Professor Vicente Bastos, Cláudia Costa Corujeira Colonnese, concorre ao prêmio Educador Inspirador representando o Estado de São Paulo na competição nacional. Ela foi escolhida em votação popular por ter introduzido em suas aulas de arte para o ensino médio o aplicativo Quizlet.

A ferramenta ajuda os professores a inserir o conteúdo das aulas em diagramas dinâmicos e que permite a prática de jogos para memorizar o conteúdo. “Comecei a usar neste ano e é incrível como eles gostam mais e pedem os exercícios. Passei a economizar também em papel e cópias”, contou. A ferramenta tem parte do acesso gratuito e é aberta ao uso geral.

Loading...
Revisa el siguiente artículo