Zona Azul digital faz multa disparar: total de infrações já supera em 4% as de 2016

Por Metro
Placas indicam período que cartão é necessário - André Porto/Metro
Zona Azul digital faz multa disparar: total de infrações já supera em 4% as de 2016

Um ano depois do fim da Zona Azul de papel, completado nesta segunda-feira (4), um efeito prático é percebido: em apenas oito meses deste ano, o total de multas por desrespeito à regra já ultrapassou o total de infrações de 2016 inteiro.

Foram 387.639 multas nos oito primeiros meses deste ano, 4% a mais do que as 371.724 do ano passado. Quando comparados os mesmos períodos, os números de infrações registradas neste ano subiu 70% em relação aos 228.115 de janeiro a agosto de 2016. Os bolsões do parque Ibirapuera e do Mercado Municipal da Cantareira são os campeões de autuações.

Leia mais:
A cada cinco dias, um policial militar é morto em São Paulo
Bombeiro furta caminhão da corporação e tenta invadir Esplanada dos Ministérios, em Brasília

Beatriz Mansberger, 25 anos, gestora de uma ONG, faz parte dessa estatística. No início deste ano, ela foi a um compromisso em Moema (zona sul) e estacionou seu carro por volta das 11h30 em área de Zona Azul. Ativou o cartão por meio de aplicativo. Meses depois, recebeu uma multa em casa dizendo que havia parado o veículo sem o cartão no mesmo dia e local, mas às 10h. “Não faria sentido estacionar e ativar um cartão só duas horas depois da multa”, afirmou.

Sem internet
Apesar da comodidade do sistema, há dúvidas sobre seu funcionamento – e, uma das   principais é como proceder se estiver sem internet disponível no celular.

Dos 16 apps disponíveis, 14 permitem ativar o cartão digital ligando para uma central telefônica ou por meio de SMS –o app escolhido traz as instruções. Mas, para isso, é preciso já ter feito o cadastro e possuir saldo de cartões digitais.

Eles podem ser comprados em qualquer momento e ativados somente no momento que forem usados. É como se fosse uma das antigas folhinhas de Zona Azul: você podia comprar e manter no carro para quando fosse usar. A diferença é que  a compra é virtual.

Mas, apesar dos problemas e até do aumento de multas, o sistema trouxe praticidade e é elogiado pelos usuários. “Achei muito mais fácil usar a Zona Azul digital, os aplicativos são simples”, disse a vendedora Bruna Laurindo, 23 anos.

Sem app, dá para comprar avulso
É possível comprar os cartões digitais de Zona Azul em pontos de venda, especialmente quem não tem smartphone, cartão ou não sabe usar o aplicativo.

São 2.750 pontos de venda, segundo a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego). A compra pode ser feita em dinheiro ou cartão e é emitido um comprovante, que não precisa ser colocado no carro para ser visto.

Mas e se o agente passar quando você estiver comprando o cartão? Questionada sobre esse ponto, a CET disse, em nota, que “a orientação da companhia é que os agentes realizem pelo menos duas consultas para verificar se o CAD [cartão digital] foi ativado”. 

zona azul
Loading...
Revisa el siguiente artículo