Apreensão de drogas bate recorde no Rio

Por Agência Brasil e Metro Jornal Rio
BAC conta hoje com 228 policiais e 79 cães - Phillippe Lima/Seseg/ Divulgação
Apreensão de drogas bate recorde no Rio

A Polícia Militar do Rio  apreendeu, de janeiro a novembro deste ano, mais drogas do que em qualquer outro ano da história. Segundo o Palácio Guanabara, o Batalhão de Ações com Cães (BAC) encontrou 11,8 toneladas de drogas – 2,6 toneladas a mais que a quantidade registrada no ano passado.   

Os policiais do BAC também recolheram 112 armas de diversos calibres, incluindo 33 fuzis. Em 2016, foram contabilizadas 81 armas apreendidas, entre as quais, 17 fuzis.

Do total de drogas, 3,5 toneladas foram apreendidas em duas ações feitas a partir de julho, sendo 2,5 toneladas na Favela Nova Holanda, na Maré, na zona norte; e uma tonelada no Pavão-Pavãozinho, em Ipanema, na zona sul. Já a maioria dos fuzis foi apreendida na zona da Leopoldina, onde estão os complexos do Alemão e da Penha, além de outras comunidades situadas em áreas de conflito na cidade.

Para o comandante Rubens Castro Peixoto Jr., o planejamento e a aplicação racional de recursos possibilitaram o número recorde de apreensões. “O trabalho de inteligência aperfeiçoou o mapeamento das áreas de atuação do BAC e a ampliação das Atividades de Treinamento da Tropa e Preparação de Cães promoveu um diferencial positivo na atuação da unidade”, ressalta.

O BAC conta hoje com 228 policiais e 79 cães das raças pastor alemão, pastor holandês, pastor belga de Malinois, rottweiler e labrador. Dez deles são ainda filhotes, em preparação para o policiamento.

Os cães não são apenas treinados para farejar drogas, armas ou explosivos. Mas, também, atuam na resgate de pessoas perdidas, tomada de reféns, captura de bandidos escondidos, busca de soterrados, restos mortais e ossadas humanas e em policiamento de jogos.

‘Temos que ir na causa’

O Secretário de Estado de Segurança do Rio, Roberto Sá, disse, ontem, que ações preventivas são mais eficazes que operações feitas após confrontos entre quadrilhas rivais: “Temos que ir na causa e não na consequência. Não haveria essa busca pela tomada de territórios se essas pessoas não estivessem portando armas de potencial tão lesivo.”

Aplicativo da PM chega a quatro novos bairros

O aplicativo de celular “Linha Direta PM”, da Polícia Militar, foi disponibilizado para moradores de Botafogo, Flamengo, Cosme Velho e Urca. Lançada em julho apenas para a região da  Barra da Tijuca e Recreio dos Bandeirantes, a ferramenta gratuita permite que os usuários acionem a polícia com mais agilidade,

De acordo com o comandante do 2º Batalhão da Polícia Militar, Leonardo Queiroz, quando solicitado, o aplicativo grava 10 segundos de áudio, que é enviado para o batalhão da área. “São 36 segundos depois da percepção do chamado. [O atendente] abre o áudio, toca o alarme e a viatura é enviada”, resume.

O serviço só pode ser usado dentro de casa, mas no futuro poderá ser acionado  na rua. 

Loading...
Revisa el siguiente artículo