7 em cada 10 ligações para o 190 de Campinas não são casos de polícia

Por Carlos Giacomelli - Metro Campinas
Copom trabalha 24 horas atendendo ligações do 190 | - metro campinas
7 em cada 10 ligações para o 190 de Campinas não são casos de polícia

De todas as ligações recebidos pelo 190 da Polícia Militar em Campinas, 71% são chamadas que não têm relação com casos policiais. Segundo levantamento do Copom do CPI-2 Comando de Policiamento Militar do Interior), a maior parte das ligações são de pedidos
de informação.

Dessa forma, apenas três ligações em cada 10 recebidas são de emergência policial, o que atrapalha o trabalho da  polícia.

“Não é que não vamos passar outras informações, sempre vamos atender. Mas se uma pessoa ocupa a linha tirando dúvidas diversas sobre outros assuntos, ela pode estar fazendo com que uma pessoa que precise da polícia de forma urgente tenha que esperar mais para ser atendido. Assim, acaba afetando na eficiência do atendimento”, comenta Bruno Pettan Viegas de Carvalho, 1ª tenente da PM e Chefe de Operações do Copom em Campinas.

Outro número que preocupa são os relativos a trotes. Em média, desde o começo do ano, 11,1% das ligações são por esse motivo. No total, 143.183 ligações em nove meses. Uma média de 530 por dia. “O trote é um problema sério. Se a pessoa liga e diz que está ocorrendo um roubo em um local. A Polícia Militar vai se deslocar para lá. Corre-se o risco de um acidente até com os policiais porque vão tentar chegar brevemente até o local. Além disso, direciona o policiamento para uma região sem necessidade, tirando de outra”, comenta o tenente.

Além dos trotes por má-fé, também existem as ligações feitas por crianças e muitas vezes por pessoas sozinhas, que querem apenas conversar. “É fundamental que os pais também orientem as crianças sobre a importância do número 190”, completa.

Na maior parte das vezes, segundo o Chefe de Operações, os números não se repetem. Mas em casos específicos, até o MP (Ministério Público) pode ser acionado. “Nós registramos todas as ligações. Se os trotes se repetirem várias vezes com o mesmo número, existem medidas jurídicas a serem tomadas pela polícia e pelo MP”, explica.

Em 2017, até setembro, foram 1.285.387 ligações para o Copom de Campinas. Uma média de 6.500 por dia. A ideia é, em breve, unir todo o setor de atendimento de emergência no mesmo espaço, aliando Bombeiros e Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) para que a eficiência do serviço seja ainda maior.

Loading...
Revisa el siguiente artículo