Rio se inspira em NY para revitalizar a região central

Por Metro Rio e Bandnews FM
A High Line, em NY, ocupa uma área de 3,75 km² - Spencer Platt/Getty Images
Rio se inspira em NY para revitalizar a região central

Um bairro em cima dos trilhos. A prefeitura anunciou ontem o início dos estudos de um projeto para construir uma pista elevada na linha férrea entre a avenida Presidente Vargas, perto da Central do Brasil, e o Maracanã, na zona norte. Os estudos, que serão realizados pelo grupo russo Olympic City, devem durar seis meses. A obra está orçada em R$ 8 bilhões.

A iniciativa é inspirada em projetos como o High Line, parque construído nos trilhos de uma linha férrea em Nova York, nos Estados Unidos. O prefeito do Rio, Marcelo Crivella, recebeu ontem o empresário russo Alexey Semenyachenko, no Palácio da Cidade, em Botafogo, na zona sul. O presidente do Olympic City assinou uma carta de intenção para obras de urbanização. Pelo projeto, serão erguidas lajes de concreto, com 15 metros de altura, sobre a linha férrea.

Na pista elevada devem ser construídos parques, lojas e prédios comerciais. “Na Rússia, o sistema de trens funciona 24 horas por dia e conseguimos desenvolver o projeto sem problemas”, disse Alexey.

O projeto será fruto de parcerias público-privadas, de acordo com o prefeito. “Os recursos obtidos com esse investimento serão em parte entregues à prefeitura. Essa parte será aplicada nos arredores do empreendimento, como a despoluição do canal do mangue, nova iluminação e novas calçadas. Será uma imensa contribuição à cidade”, acredita Crivella.

Sem muros

Finalizados os estudos, inicia-se a licitação para a emissão dos Cepacs (Certificados do Potencial Adicional de Construção), títulos usados para financiar áreas degradadas nas cidades. Os recursos arrecadados com a venda dos Cepacs serão aplicados na melhoria da infraestrutura da região. 

A expectativa é de que as obras comecem em 2019. A prefeitura ainda afirmou que, no futuro, pretende lançar o Rio Sem Muros, que prevê a transição do trem para o subterrâneo, do Méier até Santa Cruz.  

Loading...
Revisa el siguiente artículo