Laudo não comprova agressão a Garotinho em penitenciária

Por Metro Rio
Deputado Rafael Picciani (PMDB) visitou o pai e o irmão - jose lucena/Futura Press
Laudo não comprova agressão a Garotinho em penitenciária

O Ministério Público do Rio pediu as imagens de vídeo da cadeia José Frederico Marques, em Benfica, onde o ex-governador Anthony Garotinho (PR) afirmou ter sido agredido. O órgão diz ter recebido informações de possível edição das imagens que não confirmam as agressões. O pedido foi encaminhado pelo próprio procurador-geral de Justiça, Eduardo Gussem, em ofício ao secretário de Estado de Administração Penitenciária, Erir Ribeiro.

O pedido especifica o período entre 20h da última quinta-feira às 18h do dia seguinte. Garotinho disse que foi agredido de madrugada. Um laudo do IML (Instituto Médico Legal), divulgado ontem, afirma que o político sofreu lesões no joelho e no pé por um “instrumento contundente”. No entanto, não revela quem as teria provocado. Em depoimento à Polícia Civil, o ex-governador disse que um homem invadiu sua cela, o agrediu e o ameaçou, dizendo que ele “fala muito”.

Deve ser ouvido na segunda-feira o ex-secretário estadual de Saúde, Sérgio Côrtes, como testemunha do processo que apura a suposta agressão. Ele prestou os primeiros socorros a Garotinho, que foi transferido para Bangu.

A defesa afirma que o político mantém a versão de que foi agredido. Caso fique comprovado que Garotinho mentiu, ele pode responder por falsa comunicação de crime.

Visita na cadeia

Presos em Benfica, o presidente afastado da Alerj Jorge Picciani (PMDB) e o filho, Felipe, e os ex-governadores Sérgio Cabral (PMBD) e Rosinha Matheus (PR) receberam ontem visitas dos filhos. Servidores públicos que protestavam em frente à cadeia vaiaram os visitantes.  

Loading...
Revisa el siguiente artículo