‘Botão do pânico’ vai ajudar mulher vítima de violência em Curitiba

Por Metro Curitiba
Uarlen Valerio/Folhapress
‘Botão do pânico’ vai ajudar mulher vítima de violência em Curitiba

Mulheres paranaenses vítimas de violência que tenham obtido na Justiça medidas protetivas contra seus agressores vão receber um dispositivo que irá conectá-las com as autoridades policiais em caso de desrespeito à decisão judicial.

O governo do Estado lançou ontem o projeto-piloto de um programa que prevê a distribuição de um espécie de “Botão do Pânico”, que, uma vez acionado, irá se comunicar imediatamente com a Guarda Municipal e a Patrulha Maria da Penha, para acompanhamento e atendimento à mulher que o acionou.

A Secretaria Estadual de Desenvolvimento Social está investindo R$ 2,6 milhões no aluguel dos dispositivos, que serão repassados num primeiro momento a 15 prefeituras que participarão do projeto-piloto. Os primeiros dispositivos devem ser entregues no começo do ano que vem.

Os critérios para definir as primeiras cidades a receber os dispositivos passam pelos índices de violência contra a mulher e a existência de Guarda Municipal com equipes de atendimento aos chamados e funcionamento pelo da Lei Maria da Penha. Entre essas cidades está Curitiba.

A lei que institui o uso do dispositivo no Paraná, proposta pela deputada Cristina Silvestre, foi sancionada no ano passado pelo governador Beto Richa. “O botão é mais uma ferramenta para a proteção da mulher, junto com a lei Maria da Penha e com a lei do feminicídio. Vai também pressionar para que o agressor obedeça a restrição de aproximação, porque ele vai ter receio de ser pego e preso”, disse Cristina.

“O dispositivo será um aliado importante na proteção das mulheres que se sentirem ameaçadas com a proximidade de seus agressores. É uma ação pronta, de emergência, determinada por juízes, para que possa garantir, realmente, a integridade dessa mulher”, disse a secretária de Desenvolvimento Social, Fernanda Richa, ontem, no ato de lançamento do projeto.

O governador Beto Richa destacou que “o Paraná dá exemplo ao ser o primeiro estado a implantar programa de grande alcance para a proteção às mulheres.”

Loading...
Revisa el siguiente artículo