Crivella promete fim à desordem urbana no Rio de Janeiro

Copacabana e Leme receberão o Rio + Seguro, com o aumento de 280 agentes na região

Por Metro Rio de Janeiro e Bandnews FM
Crivella com agentes da Guarda Municipal - Ian Cheibub/Agif/Folhapress
Crivella promete fim à desordem urbana no Rio de Janeiro

Em até 20 dias, os bairros de Copacabana e Leme, na zona sul, vão passar por um “reordenamento urbano”. É o que promete o secretário de Ordem Pública, o coronel reformado da Polícia Militar Paulo César Amêndola, com o projeto Rio + Seguro. Anunciado ontem pelo prefeito Marcelo Crivella, a iniciativa contará com um reforço de 280 homens da Guarda Municipal (GM) para patrulhar as ruas da região. Além disso, serão usadas 54 câmeras de monitoramento integradas ao Centro de Operações Rio.

O investimento deve ser de R$ 800 mil mensais. Os  agentes terão o suporte de dois micro-ônibus como bases operacionais, 10 carros e 33 motos. Além disso, através de um Mapa Operacional será possível observar a movimentação e a localização dos guardas municipais em atividade nos bairro. O sistema de comunicação integrada monitorado por GPS nos aparelhos celulares dos GMs vai agilizar o deslocamento das equipes. Os smartphones vão permitir  que os guardas recebam informações sobre suas missões e imagens de suspeitos.

“Estive viajando em busca de melhorias para a cidade. A China vai fornecer lâmpadas de Led que conseguem identificar o rosto de infratores. E a Rússia vai anunciar amanhã um investimento bilionário para cidade”, informou o prefeito Marcelo Crivella.

De acordo com a prefeitura, o projeto é por tempo indeterminado e ainda não há previsão de expansão do programa para outros bairros.

“Esse projeto vai aumentar os efetivos sem retirar os anteriores, para combater esse desordenamento urbano”, afirmou Amêndola.

O aumento de contingente, segundo o secretário, será financiado pelo Fundo Municipal de Ordem Pública, com a destinação de 30% das multas de trânsito aplicadas pela GM, às recolhidas de infratores do VLT que não pagam passagem, além das aplicadas pela Lei do Silêncio – que ainda entrará em vigor

Os agentes também agirão durante a madrugada. A ideia é resgatar a tranquilidade do carioca e alavancar o turismo.

Denúncia

A prefeitura pede que a população denuncie casos de desordem urbana como ambulantes ilegais, ocupação irregular de calçadas e perturbação do sossego, além de pequenos delitos, pela Central de Atendimento da Prefeitura do Rio (1746).

Loading...
Revisa el siguiente artículo