Negros graduados têm salários até 29% menores

Por Fabiane Guimarães - Metro Brasília
David McNew/Getty Images
Negros graduados  têm salários até 29% menores

No mês da Consciência Negra, um levantamento feito pelo Instituto de Pesquisas Locomotiva mostra que a desigualdade racial no mercado de trabalho ainda é gritante, e se estende por todo o espectro educacional: entre os profissionais com nível superior, quem é negro ganha até 29% menos do que brancos.

De acordo com o levantamento, apenas 6% dos homens negros com mais de 25 anos têm nível superior – entre os homens brancos, o percentual é de 18%. A diferença salarial chega a R$ 2 mil.

No caso das mulheres negras, 9% são formadas em universidades, ao passo em que 21% das mulheres brancas se graduaram. A diferença entre salários é de 27%. O salário médio da mulher negra é R$ 3,7 mil menor do que a remuneração que um homem branco recebe (veja arte).

Para a pesquisa, o Locomotiva ouviu 2.020 pessoas em cinco regiões brasileiras. “Não estamos falando de nicho ou segmento, mas da maioria da população brasileira, já que 55% dos brasileiros se identificam como negros. A disparidade salarial entre brancos e negros causa um prejuízo de R$ 808 bilhões por ano”, avalia o presidente do instituto, Renato Meirelles.

Racismo

A pesquisa também questionou os entrevistados se eles acreditavam que existe racismo no país: 93% avaliaram que sim, há racismo. Apenas 3% admitiram, contudo, que têm preconceito e não gostaria de conviver com negros.

A pesquisa também demonstra que 73% da população negra já sofreu ataques racistas nas redes sociais.

Arte / Metro Jornal Arte / Metro Jornal

Loading...
Revisa el siguiente artículo