Após carnaval de 2017 movimentar R$ 500 mi, BH se organiza para festa ainda maior em 2018

Por METRO BH
Reprodução
Após carnaval de 2017 movimentar R$ 500 mi, BH se organiza para festa ainda maior em 2018

Mesmo faltando 84 dias para o Carnaval de 2018, a preparação em BH – que se consolidou como uma das maiores festas do país – já ocorre a todo vapor. Termina hoje o prazo estipulado pela prefeitura para o cadastramento de blocos de rua; no próximo dia 27, inicia o período de inscrições para os interessados em trabalhar como ambulante.

De acordo com a prefeitura, somente com o cadastramento é possível atender as demandas necessárias para os blocos, sejam relativas à mobilidade urbana, logística, segurança, limpeza e banheiros. Após a inscrição, a Belotur e outros órgãos da PBH avaliam as necessidades de cada cortejo e fornecem a estrutura que julgarem necessária.

Jhonatan Melo, regente e organizador de diversos blocos de Carnaval em BH, ressalta que o cadastro do bloco é importante tanto para a organização quanto para a comodidade dos foliões. “A gente precisa de uma organização mínima do espaço. É muita gente na rua, precisamos de segurança, limpeza, banheiros, desvio de trânsito. É ocupar o espaço público com responsabilidade”, salienta. No Carnaval deste ano, mais de 100 blocos não cadastrados realizaram cortejos.

Melo, entretanto, destaca alguns problemas que os blocos passaram na folia de 2017. “A gente percebia alguns problemas com a abordagem da polícia e a falta de comunicação com a BHTrans. Algumas vezes a gente chegava no local e ele estava todo aberto, impedindo que a gente pudesse realizar o cortejo”, ressalta.

Os interessados em cadastrar blocos devem acessar o site www.pbh.gov.br/carnaval e preencher um formulário com data, horário, local de concentração, trajeto e local de dispersão. “Com os dados, podemos planejar melhor a festividade, minimizando os possíveis problemas e garantindo um apoio melhor para os organizadores, foliões e moradores”, comenta Aluizer Malab, presidente da Belotur.

O Carnaval do ano passado contou com mais de 400 blocos, cerca de 3 milhões de foliões e movimentou mais de R$ 500 milhões. Para o ano que vem, a expectativa da prefeitura é que o número de carnavalescos nas ruas chegue a 3,6 milhões.

Ambulantes

Na segunda-feira, dia 27, inicia o período de cadastramento para aqueles interessados em trabalhar como vendedor ambulante na festa do Rei Momo de 2018.

Aqueles que se cadastrarem terão direito a comercializar bebidas e adereços carnavalescos entre 27 de janeiro e 18 de fevereiro de 2018 – contemplando o Carnaval e também os períodos conhecidos como “pré” e “pós”.

Os interessados em se inscrever deverão se dirigir ao BH Resolve (Rua dos Caetés, 342, Centro), entre 27 de novembro e 15 de dezembro, de segunda a sexta, de 8h às 17h, munidos de carteira de identidade, CPF, comprovante de residência e a declaração de compromisso, disponível no site www.pbh.gov.br/carnaval. Em 2017, cerca de 9 mil ambulantes foram credenciados.  

Ensaios, festas e novidades

E não é somente a prefeitura que já está se movimentando para o Carnaval do ano que vem. A organização dos blocos vem promovendo ensaios, oficinas e festas para ficarem afiados e, claro, arrecadar fundos para tornar a folia de 2018 possível. “A gente está se organizando desde julho, agosto. Tem bloco, inclusive, que nem parou”, conta Jhonatan Melo, que participa de blocos, como “Garotas Solteiras” e “Então, Brilha!”.

Para o ano que vem, a expectativa é que 900 blocos desfilem pelas ruas da capital; algo próximo do dobro de cortejos realizados em 2017. Os blocos já existentes também preparam novidades. “Alguns blocos cresceram muito e vão mudar de lugar, como é o caso do ‘Alô Abacaxi’. Mas ainda não vamos divulgar porque ainda não foram aprovados pela Belotur”, finaliza Melo.

Loading...
Revisa el siguiente artículo