DJ denuncia LGBTfobia em espaço de eventos no Rio de Janeiro

Por Band.com.br

O que era para ser uma festa de amigos terminou em caso de polícia na região de Curicica, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. A DJ Fernanda Fox conta, em entrevista para o Portal da Band, que uma amiga alugou o Espaço Celebrate, com contrato formal, para que o evento ocorresse das 14h às 22h da última quarta-feira (15), podendo se estender até à 0h com som ambiente – o churrasco, no entanto, nem chegou ao final por conta de reações preconceituosas por parte dos donos do local, segundo a DJ.

“Às 18h os donos do estabelecimento começaram a jogar gelo no chão para incomodar o nosso público e pediram para encerrar a festa antes. Uma hora depois eu chamei a polícia e os donos alegaram que não sabiam que a festa teria valor para entrada e venda de bebida, mas o contrato não proibia isso”, conta Fernanda. “Quando questionei se o caso era de homofobia (pelo fato de a festa ser voltada ao público LGBT), um dos donos do local perguntou se eu achava certo que homens se beijassem na frente da filha deles”, completa.

Após a confusão, o homem citado pelo dono do Espaço Celebrate por causa do beijo, que não quis se identificar, prometeu ir à polícia para registrar um Boletim de Ocorrência por homofobia.

O marido da dona do espaço ainda teria afirmado que “se soubesse que seria 'esse tipo de festa' (voltada ao público LGBT), não teria alugado o local e que o Espaço Celebrate era uma casa de família e, lá, não aceitavam o tal comportamento”.

A DJ também conta ainda que um chinelo foi jogado contra a organização da festa enquanto eles deixavam o espaço. Os organizadores do evento entraram em contato com um advogado para resolver o caso judicialmente.

Senado debate homofobia
Em junho de 2017, um internauta propôs para o Senado a criminalização da homofobia e recebeu mais do que o dobro do apoio necessário para tornar isso uma Sugestão Legislativa, que são 20 mil assinaturas. O próximo passo é o projeto ser encaminhado para a Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH), que é responsável por receber as propostas dos cidadãos. Sendo aprovada, a ideia pode virar projeto de lei até ser relatada por algum senador membro da CDH e passar a valer.

Posicionamento do local

O Espaço Celebrate foi procurado pelo Portal da Band e, até a conclusão da reportagem, não se manifestou sobre o caso.

Loading...
Revisa el siguiente artículo