Privatização de Interlagos passa em 1ª votação

Por André Vieira - Metro Jornal
Clive Mason/Getty Images
Privatização de Interlagos passa em 1ª votação

A Câmara aprovou ontem, em primeira discussão, mais um dos projetos do plano de desestatização do prefeito João Doria (PSDB), desta vez prevendo a privatização do autódromo de Interlagos, na zona sul.

A proposta recebeu 37 votos favoráveis e 9 contrários entre os 55 vereadores. Para que seja aprovado em definitivo, o projeto ainda deverá passar por segunda votação, sem prazo definido.

Com a evolução do processo para a futura venda do autódromo, todos os principais itens da desestatização têm agora o seu avanço garantido no Legislativo.

Os vereadores já deram aval para que a prefeitura busque parceiros privados para administrar o estádio do Pacaembu, o Mercadão e os parques e praças, enquanto a privatização do Anhembi passou em primeiro turno.

O projeto apreciado ontem prevê a venda do autódromo e do cartódromo – reunidos em área com quase 1 milhão de metros quadrados. A vocação esportiva deverá ser mantida, com a possibilidade de o futuro dono explorar outras atividades e fazer construções.

A aprovação nesta semana é simbólica para o prefeito Doria, que pretende aproveitar o Grande Prêmio Brasil de Fórmula 1, neste domingo, para apresentar o projeto a investidores.

Líder do PT, o vereador Antonio Donato (PT) criticou. “Colocou-se em votação só porque o prefeito quer criar um factóide para mostrar que o processo está avançando, mas não está. Faltam dados para discutir com profundidade.” A base de apoio reafirmou que a desestatização vai gerar recursos para investimento nas áreas sociais.

A volta da inspeção

A Câmara deve votar hoje, em primeira discussão, projeto que prevê o retorno da inspeção veicular. O texto também cria metas para que ônibus, caminhões de lixo e veículos que prestam serviço ao município reduzam a emissão de CO2.

Demissão por dificultar acesso a dados

O prefeito demitiu ontem o chefe de gabinete da Secretaria Especial de Comunicação, Lucas Tavares. Reportagem do jornal “O Estado de S.Paulo” mostrou gravação de reunião em que Tavares afirma que iria dificultar a divulgação de dados solicitados por meio da Lei de Acesso à Informação. O Ministério Público investiga o caso.  

Loading...
Revisa el siguiente artículo