MP abre inquérito para investigar conduta do assessor de Doria

Por Yuri Cavalieri - Rádio Bandeirantes
Alice Vergueiro/Folhapress
MP abre inquérito para investigar conduta do assessor de Doria

O Ministério Público abre um inquérito para investigar a conduta do ex-número dois da Comunicação da Prefeitura de São Paulo.

Lucas Tavares perdeu emprego após declarações contra jornalistas. Sua exoneração do cargo foi publicada no Diário Oficial desta quinta-feira (9).

Em reunião interna da Secretaria, ele classificou alguns profissionais como chatos e disse que dificultaria o acesso às informações. A conversa foi toda gravada de forma oficial, mas o áudio acabou vazando para a imprensa e publicado pelo jornal O Estado de São Paulo.

Leia mais:

Gestão Doria dificulta acesso a dados e viola Lei de Acesso à Informação
Não há orientação para dificultar acesso a informações, diz Doria

Em um primeiro momento, Lucas Tavares se referiu a uma produtora da TV Globo como uma das jornalistas mais chatas do planeta Terra.

Depois, falando sobre um repórter do jornal Agora, o ex-chefe de gabinete se auto intitulou mauzinho, e determinou o repasse de informações ao jornalista se ele fosse pessoalmente atrás.

Em outro trecho da gravação, Lucas Tavares disse que o objetivo de dificultar o acesso era inviabilizar a publicação da reportagem pelo jornalista.

A divulgação do áudio pegou o prefeito de São Paulo de surpresa e resultou na demissão ex-chefe de gabinete da Secretaria de Comunicação.

João Doria disse que o assessor cometeu um equívoco e as declarações não refletem o posicionamento da gestão.

À Rádio Bandeirantes, Lucas Tavares disse que a reportagem do jornal O Estado de São Paulo destacou frases ditas por ele fora de contexto.

Em nota, a Secretaria de Comunicação garantiu que a gestão municipal tem compromisso com a transparência.

Loading...
Revisa el siguiente artículo