Guias e agências de Turismo começam a ser fiscalizados

Por Metro Jornal Rio e Agência Brasil
Ricardo Moraes/ Reuters
Guias e agências de Turismo começam a ser fiscalizados

Duas semanas após a morte da turista espanhola Maria Esperanza Jimenez na favela da Rocinha, na zona sul, o Ministério do Turismo e a TurisRio (Secretaria de Estado do Turismo) deram início à fiscalização de agências, guias e transportadoras que atuam no setor na capital. O objetivo é saber se esses prestadores estão legalizados e cadastrados no Cadastur (cadastro dos prestadores de serviços turísticos), que é obrigatório.

A ação, que conta com 11 fiscais divididos em equipes, começou ontem pelo Pão de Açúcar, na Urca, na zona sul, onde dois guias, dos 22 abordados, estavam irregulares, além de duas agências. Durante a fiscalização em oito agências, cinco estavam irregulares e uma foi fechada. A operação se estende até amanhã, quando será apresentado o balanço final da operação. 

Secretário estadual de Turismo, Nilo Sérgio Félix admitiu que muitos profissionais e agências de turismo não têm o cadastro. Ele afirmou que quem estiver irregular será notificado e, em alguns casos, poderá ser autuado. As multas podem variar de
R$ 1.186 até R$ 854 mil.

A operação no Rio estava prevista para janeiro, mas a TurisRio pediu que ela fosse antecipada. “Para que possamos dar uma resposta à sociedade do trabalho em relação a esses prestadores de serviço”, explicou Félix, acrescentando que a ideia é que a fiscalização, a partir de agora, seja permamente e com mais rigor.

Loading...
Revisa el siguiente artículo