Estudantes 'quebram tradição' e garantem primeiro diploma da família

Por Gabrielle Pedro - Portal da Band
Freeimages
Estudantes 'quebram tradição' e garantem primeiro diploma da família

Em um comparativo entre os anos de 2013 e 2016, o número de estudantes que ingressaram no Ensino Superior aumentou 10,7%, segundo dados divulgados pelo Instituto de Estudos e Pesquisas Educacionais (INEP). O órgão mostrou ainda que 61,5% dos concluintes da primeira graduação também são os primeiros da família a ingressarem em uma faculdade por conta das políticas públicas implantadas pelo governo, como o Fundo de Financiamento Estudantil (FIES) e o Programa Universidade para Todos (ProUni).

Esse é o caso da estudante de Jornalismo Flávia Gondor. Segundo a estudante, foi graças ao ProUni que ela teve a chance de poder ser a primeira da família a cursar uma faculdade. Com isso, a estudante diz que pôde quebrar a “tradição” dos Gondor da “instrução informal passada de geração para geração”. “No passado, não ter acesso ao ensino superior era uma profecia comum para a minha família. Não havia ganância em adquirir um diploma nem problema quanto a isso. Desde que eles estivessem empregados estava tudo bem”, conta.

Carga simbólica

O sonho de cursar o Ensino Superior ás vezes pode ser longo, difícil e caro, mas há famílias que incentivam e querem que as novas gerações sigam um caminho diferente . A socióloga e diretora da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo (FESPSP), Carla Regina Diéguez, disse que “houve uma pequena mudança no perfil de ingressantes das faculdades privadas” graças as políticas públicas que fizeram aumentar o número de pessoas de baixa renda nas universidades, e isso mostra ainda a superação daquele indivíduo.

A socióloga analisa também que o fato de um estudante carregar o “rótulo” de ser o primeiro da família a ingressar no Ensino Superior ainda traz uma carga simbólica muito forte. “Esse estudante representa uma esperança, pois antes você constrói um imaginário do que é possível e impossível. E quando você vê uma pessoa que normalmente não estaria ali [nas universidades] atingindo aquele lugar, ela ‘contamina’ quem está ao seu redor e mostra as possibilidades que se tem” e assim inspira os demais a atingirem aquele objetivo também.

“Sem eles não teria conseguido”

Às vezes, só o seu esforço não é o suficiente. Pais, tios, avós embarcam nessa meta do tão sonhado diploma com seus filhos, sobrinhos e netos. Assim como foi com o estudante de Comércio Exterior Raphael Gomes, de 21 anos. Ele contou aoPortal da Band que mesmo que seus familiares não tenham tido oportunidades financeiras para ingressarem no Ensino Superior, eles não pouparam esforços para ajudá-lo no quesito educação. Apesar de sempre ter conseguido bolsa de estudos nas instituições por onde passou elas sempre demoravam a ser concedidas, e até que o benefício saísse, eram seus pais e avós que arcavam com os custos.

Enfrentar os obstáculos

A família de Mickaely Rodrigues, de 19 anos, também serviu de alicerce para que a jovem conseguisse uma vaga no curso de Administração em que está hoje, graças a ajuda do site Quero Bolsa, que lhe garantiu 50% de desconto na mensalidade. “Meus familiares sempre reforçaram a importância de ingressar no Ensino Superior, estavam sempre dispostos a me ajudar”, contou ela.

Apesar do grande obstáculo financeiro para entrar em uma faculdade privada, isso não foi motivo para que a jovem aprendiz no Hospital Samaritano e a família desistissem de sua graduação. “Eles acreditam que, quanto maior for o meu investimento em uma boa formação acadêmica, melhor será o meu resultado futuro, o que impactará bastante no meu plano de carreira”, completou.

A jovem acredita que todo seu esforço para conseguir seu diploma de administradora afetará de maneira positiva seus familiares que também almejam a graduação, como se fosse uma “motivação” para eles também não desistirem.

Loading...
Revisa el siguiente artículo