Pastor preso por pedofilia usava expressões religiosas para convencer criança

Por Paraná Portal

Está preso um pastor de uma igreja evangélica de Curitiba, suspeito de assediar sexualmente um menino de 13 anos. O homem, que também é professor de música, tem 41 anos e foi detido em flagrante quando estava a caminho de um suposto encontro com a vítima, na última segunda-feira (25).

O local e o horário foram combinados por orientação da polícia. Por meio de mensagens de Whatsapp, o pastor tentava fazer com que a criança enviasse fotos íntimas.

Ele mesmo chegou a enviar uma foto para o menino para tentar convence-lo que esse comportamento seria algo “normal”, caso ele topasse trocar imagens, de acordo com o delegado do 11º DP, Rinaldo Ivanike.

“É também professor de música da igreja e tinhas essas conversas estranhas com a criança, com esse menor. Passava as mãos nas pernas dele, fazia propostas e não sei como conseguiu o número do telefone celular. Começou a passar mensagens, fazer convites mandar fotografias, até que ele marcou um encontro com o menino e foi feita a prisão em flagrante”, afirma o delegado.

Nas conversas obtidas pela polícia, o homem ainda se usava de termos e expressões religiosas. No mesmo diálogo no qual falava sobre sexo, também pedia um “abraço ungido” e orações.

Na delegacia, ele negou as acusações. Disse que o único objetivo era testar o garoto, mas que depois contaria para os pais.

“A princípio ficou em silêncio, mostrou arrependimento. Inclusive negou ser pastor, mas há uma carteira de pastor e também de professor de música. Ele se aproveitava da posição para se aproximar dessas crianças, tentava contato com elas e dava toda vazão a seu instinto”, afirma.

Há a suspeita de que outras crianças possam ter sido assediadas pelo pastor, e é isso o que a polícia espera apurar agora, com a divulgação do nome e da imagem dele.

A polícia divulgou as mensagens enviadas pelo pastor. Alguns trechos foram suprimidos pela reportagem.


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo