Visita de Alckmin ao interior termina em confusão após fala de Major Olímpio

Por Estadão Conteúdo
Eduardo Carmin/Photopremiun
Visita de Alckmin ao interior termina em confusão após fala de Major Olímpio

O que era para ser uma cerimônia festiva, com a entrega de 197 viaturas para a Polícia Militar, terminou em barraco e muita gritaria na manhã deste sábado, 16, em São Carlos (SP). Tudo começou quando o deputado federal Major Olímpio (SD-SP) chegou ao local protestando, entre outras coisas, contra os baixos salários da PM e as mortes de policiais. Um grupo que protestava no local então se juntou a ele.

Usando microfone e caixa de som, o deputado gritava frases de efeito, como "Cadê o salário da polícia?". O grupo apareceu quando discursava no palanque o secretário estadual de Segurança Pública, Mágino Alves Barbosa Filho. E, a partir daí, deputados e outros presentes resolveram responder e gritos partiram de lado a lado.

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) também respondeu durante seu discurso. Mas, como o barulho era grande, também teve de erguer muito a voz e tentou justificar: "É ele que está gritando!". Para completar, o tucano disse: "Ele ganha R$ 50 mil! Deveria ter vergonha!".

Depois da confusão, o governador tentou aparentar calma, tirou fotos com as pessoas e falou com a imprensa, mas sem entrar no tema. Antes, Alckmin já havia rebatido as críticas, alegando que tem investido na segurança pública. O tucano também garantiu que pretende dar aumento de salário aos servidores, mas culpou a queda na arrecadação no Estado. "Temos que agir com responsabilidade", falou.

O grupo que protestava antes da chegada do deputado era formado em sua maioria por representantes dos professores, ligados à Apeoesp. Olímpio usou as redes sociais para comentar o episódio. Ele alegou ter desmascarado o governador e diz que "o 'santo' Alckmin até perdeu a compostura".

Major Olímpio se diz surpreso exaltação do tucano

O deputado federal Major Olímpio (SD) negou que receba R$ 50 mil, como acusou o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), em resposta a um protesto feito pelo parlamentar, no interior paulista, em defesa de reajustes salariais dos agentes de segurança pública.

Olímpio disse ainda, que ficou "surpreso" com o tom do tucano ao microfone na cidade de São Carlos. "Alckmin mostrou o desespero dele e falta de argumento ao me chamar de marajá. E ainda usou meu bordão ao dizer 'vergonha"", acrescentou o deputado, que garante receber somente a aposentadoria de major da Polícia Militar (PM), de R$ 13 mil, além do salário de deputado federal

Neste sábado, 16, durante cerimônia de entrega de viaturas para a PM em São Carlos, Alckmin fez um discurso exaltado após ser alvo do protesto de Olímpio – que usou um megafone para puxar palavras de ordem contra o governador e reivindicar aumento para policiais civis e militares.

Diante da intervenção, o tucano deixou de lado seu tradicional estilo contido. "Quem aqui ganha R$ 50 mil do povo de São Paulo? Você devia ter vergonha deputado. Vergonha! Ele que grita é que ganha R$ 50 mil do povo", gritou o governador ao microfone.

Em seu discurso, Alckmin disse que vai reajustar os servidores das polícias civil e militar. Segundo Olímpio, o salário inicial de um PM hoje é de R$ 2.900. "Faz quatro anos que não dão nem o aumento da revisão constitucional", disse o deputado.

Loading...
Revisa el siguiente artículo