Memorial Luís Carlos Prestes será inaugurado no fim de outubro em Porto Alegre

Por Metro Jornal Porto Alegre
Ivo Gonçalves/PMPA/ARQUIVO
Memorial Luís Carlos Prestes será inaugurado no fim de outubro em Porto Alegre

Mais de 25 anos após a morte de Luís Carlos Prestes, Porto Alegre receberá um espaço em homenagem ao líder comunista projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer, a ser inaugurado no mês que vem.

O Memorial Luís Carlos Prestes, localizado ao lado da sede da FGF (Federação Gaúcha de Futebol), será inaugurado em 28 de outubro, data em que o começo da Coluna Prestes – marcha iniciada em Santo Ângelo, na região das Missões – completa 93 anos.

Leia mais:
Com catálogo não comercial e serviços diversificados, videolocadoras resistem em Porto Alegre
Motorista pode pedir indenização por danos causados por buracos em Porto Alegre

Conforme o vice-presidente da Associação Memorial Luís Carlos Prestes, Edson Santos, a edificação está concluída e estão sendo realizados ajustes internos para a inauguração.

A área do Memorial foi cedida por 60 anos pela Prefeitura de Porto Alegre à FGF, que recebeu metade do terreno em 2009 para construir sua sede e se comprometeu a construir o espaço – a pedra fundamental havia sido lançada dez anos antes.

"É o primeiro espaço que homenageia a figura do Prestes. Em Santo Ângelo e no Tocantins, tem homenagens à Coluna. Nesse memorial, se homenageia a Coluna e a figura dele”, acredita Santos.

O representante da entidade também afirmou que o movimento estará aberto a todo o público, não estando restrito apenas aos apoiadores do comunismo e admiradores de Prestes. “Queremos que se transforme em um equipamento da cidade”, frisou.

Controvérsia

A homenagem é controversa. Em março passado, o vereador Professor Wambert (PROS) propôs que o memorial fosse transformado no Museu do Povo Negro. “Não há motivo para homenagear Prestes. Ele foi o líder da Coluna que se acovardou diante de Lampião e deixou uma onda de saques e estupros pelo Brasil”, disse o vereador.

Santos não discute a questão. “Ele [Wambert] expressa uma posição ideológica contrária ao socialismo. Não queremos fazer debate com o Wambert porque a história já o fez”, sustentou Santos.

O vereador criticou as referências à foice e ao martelo – símbolos do comunismo – presentes na exposição. Wambert também considera que a homenagem “envergonha a cidade”.

Santos pensa o contrário: “O Memorial é uma forma de resgatar a história de um dos heróis do nosso povo, uma homenagem às lutas populares, ao combate às desigualdades sociais”, disse.

Quem foi

Prestes nasceu em 1898. Percorreu o Brasil com a chamada Coluna Prestes entre 1925 e 1927, quando ficou conhecido como “Cavaleiro da Esperança”.

Sua companheira, Olga Benário, morreu na Alemanha durante o regime nazista após ser deportada por Getúlio Vargas. A união gerou Anita Leocádia Prestes. O líder comunista teve outros sete filhos em um segundo casamento.

Durante o regime militar, exilou-se na antiga União Soviética, retornando em 1979. Morreu no Rio de Janeiro, em 1990.

Loading...
Revisa el siguiente artículo