Prefeito de Campinas congela projeto que criou parklets

Por Tote Nunes - Metro Campinas

Sem uma diretriz claramente definida, o projeto de implantação de parklets em Campinas foi congelado ontem pelo prefeito Jonas Donizette (PSB). O prefeito determinou à Setec que seja expedido um auto de proibição de exploração comercial do negócio. Essa determinação vai valer, segundo ele, até que um projeto sobre o assunto seja debatido e votado na Câmara.

Jonas disse que tomou a decisão ontem, depois de uma conversar com a direção da Setec e o secretário de Transportes, Carlos José Barreiro. A ideia do implantar um projeto-piloto de parklet surgiu na Emdec.

“O projeto-piloto é legal. A ideia é boa e já foi adotada em vários países, mas para dirimir qualquer dúvida, decidi que é melhor regulamentar”, explicou o prefeito.

O conceito de parklet surgiu nos Estados Unidos com a ideia de transformar em mini praças de convívio, espaços antes ocupados por uma ou duas vagas de estacionamento.

Em Campinas, o projeto foi iniciado na Rua Cel. Quirino, em frente ao Bar Cenário, no Cambuí, quando um grupo de empresários decidiu ocupar parte da rua como extensão do bar.

“O Barreiro me disse que até já tem um projeto pronto, mas eu preferi prestigiar o do Vinícius (vereador Vinícius Grati, que tramita na Câmara)”, disse Jonas. “Até lá, não vamos permitir que o espaço seja usado comercialmente”, finalizou.

Quando o programa foi lançado, há menos de duas semanas, Barreiro explicou que a ideia era testar a proposta por cerca de seis meses e, em seguida, elaborar um regramento. De acordo com ele, os parklets seriam disseminados pelo centro da cidade e atingiriam  até mesmo regiões mais periféricas, como o distrito do Campo Grande. A Emdec garante que não haverá impacto no trânsito.

A medida provocou reações distintas – de grupos contrários e favoráveis. Ao ponto de uma petição online ter sido organizada para discutir a substituição dos parklets pelo alargamento das calçadas.

Loading...
Revisa el siguiente artículo