Metrô de São Paulo inicia retomada das obras da linha 6-Laranja

Imóvel desapropriado já foi demolido para dar início às obras do metrô/Robson Ventura/Folhapress
Metrô de São Paulo inicia retomada das obras da linha 6-Laranja
Por: Metro Jornal

O governo de São Paulo afirmou nesta sexta-feira que serão retomadas as obras da linha 6-Laranja do Metrô. Parado há quase 1 ano, o projeto deve voltar a ser tocado até o fim de 2017.

Quando ficar pronta, a chamada “linha das universidades” vai ligar a Brasilândia, na zona norte, à estação São Joaquim, no centro, com integração com a linha 1-Azul. No futuro, será feita a integração com a linha 13-Jade até o aeroporto de Guarulhos.

Investigadas na Lava Jato, as empresas inicialmente responsáveis – Odebrecht, Queiróz Galvão e UTC – não conseguiram financiamento no BNDES, o que obrigou o governo do Estado a buscar uma nova parceria.

Leia mais:
CPTM inaugura estação da linha que irá até aeroporto de Cumbica

Em nota, a Secretaria dos Transportes explicou que o recebeu uma proposta de uma empresa internacional para assumir as obras da linha 6-Laranja e que aguarda o prazo de 60 dias para poder divulgar os detalhes.

Confira a nota na íntegra:

A Move São Paulo comunicou à Secretaria de Estado dos Transportes Metropolitanos (STM), na última quinta-feira (27), que recebeu proposta de uma empresa internacional interessada em adquirir a concessão da linha 6-Laranja de metrô de São Paulo.

Caso o acordo tenha êxito, o governo não precisará relicitar e as obras serão retomadas ainda neste semestre.

“Trata-se de uma das maiores construtoras do mundo, com total capacidade para obter financiamento. Por isso, estamos confiantes de que o desfecho será favorável”, afirma o secretário de Estado dos Transportes Metropolitanos, Clodoaldo Pelissioni.

A negociação, de caráter confidencial, tem validade de 60 dias. Por essa razão, a concessionária solicitou à STM este prazo para a conclusão das análises jurídica, financeira e técnica da oferta.

A implantação da linha 6-Laranja teve início em janeiro de 2015 e, em 2 de setembro do ano passado, por decisão unilateral, a Move São Paulo, única responsável pela implantação do trecho, informou a paralisação integral das obras civis, alegando dificuldades na obtenção de financiamento de longo prazo junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Nos termos do contrato de concessão, a concessionária é a única responsável pela obtenção dos financiamentos necessários ao desenvolvimento dos serviços delegados. Não há pendências do Governo do Estado junto à concessionária que impeçam a retomada das obras, cuja execução atingiu 15%. Foram aportados pelo Governo do Estado até o momento R$ 694 milhões para pagamento de obras civis e R$ 979 milhões para pagamento das desapropriações de 371 ações.

A STM tem tomado todas as medidas legais previstas em contrato para que a Move São Paulo retome e conclua as obras da linha 6, que ligará Brasilândia, na zona norte da capital, à estação São Joaquim, na região central. Até o momento a pasta já aplicou multas que somam R$ 27,8 milhões.

Caso o atual concessionário não consiga dar prosseguimento às obras, o Governo do Estado poderá decretar a caducidade do contrato e iniciar um novo processo licitatório respeitando os devidos prazos legais.

Secretaria dos Transportes Metropolitanos – Assessoria de imprensa

Loading...
Revisa el siguiente artículo