Ainda dá para se preparar para o vestibular

Por Metro Jornal São Paulo

Quem pretende ingressar em uma boa faculdade tem disponível hoje diversos métodos de estudos e pode encontrar na internet uma infinidade de ferramentas para facilitar a vida. Mas os recursos on-line não significam que estudar virou moleza. E nesse ponto os especialistas concordam: seguir um programa de estudos é fundamental para garantir o desempenho nas provas.

Para quem vai prestar o vestibular de inverno ou Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) deve ficar atento à  organização da rotina. “É essencial para não se perder na grande quantidade de matérias exigidas”, diz Rodrigo Fulgêncio Mauro, coordenador do curso Poliedro.

O profissional também sugere manter no tempo  que ainda resta até as provas uma carga horária, de 30 horas semanais de estudos. “Uma média de cinco horas por dia é o ideal.” Outra dica do coordenador é distribuir as matérias de maneira intercalada. Por exemplo, variar diferentes disciplinas, como biologia, história e matemática ao invés de investir em um único tema durante
todo o período.

E nada de estudar a matéria dada pelo professor no mesmo dia em que foi passada. “É essencial que o conteúdo seja revisto, mas em qualquer dia da semana. O importante é que seja antes da próxima aula com o professor que apresentou o tema.”

Novos métodos
Na prateleira de novos métodos, técnicas inspiradas na neurociência têm ganhado a atenção de educadores. “Há experimentos interessantes e eficazes para melhorar a forma de estudar, como fazer resumos, grifar partes dos textos, elaborar testes sobre o que se estudou, entre outros”, conta o professor Marcelo Dias, coordenador do curso Etapa Vestibulares.

Estudos apontam, ainda,  que distribuir os estudos ao longo do tempo, planejar e alternar matérias são estratégias de impacto mais positivas do que apenas resumir textos e grifar palavras – esses últimos não têm eficiência comprovada.

Descansar é bom
Acredite, momentos de descanso devem estar previstos no seu planejamento de estudos. E não esqueça também de dormir bem. Um sono diário de seis a oito horas funciona para a maioria das pessoas.

“Algumas horas da semana destinadas ao descanso e às atividades para descontrair podem ajudar no rendimento dos estudos”, afirma Rodrigo Fulgêncio do curso Poliedro.


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo