Prefeitura começa a tirar radares camuflados em São Paulo

Por Fabíola Salani - Metro São Paulo

O secretário de Mobilidade e Transportes, Sergio Avelleda, disse em entrevista ao Metro Jornal que a prefeitura começa nesta quinta-feira a tirar das caixas de metal os 19 radares móveis que estão camuflados na cidade e são usados em 80 pontos. A partir desta sexta-feira, eles devem estar expostos.

“Vamos colocar esses radares em postes para que possam ser vistos”, afirmou o titular da pasta.

Essa é uma das medidas que a secretaria está adotando para tornar os radares mais visíveis. Outra, já iniciada, é reforçar a sinalização de trânsito próximo dos equipamentos que mais multam na cidade, os “radares-pegadinha”. Dois já passaram pelo projeto e outros 15 estão em andamento (veja lista ao lado).

“Nós não vamos afrouxar a fiscalização, queremos que a regra de trânsito seja cumprida”, disse Avelleda. “Onde houver risco para o pedestre, para o ciclista, colocaremos radar. Mas com boa sinalização da regra.”

Um dos radares que passou por mudança na sinalização fica no final da rodovia dos Imigrantes, pista sentido São Paulo, que flagra quem passa acima de 70 km/h. Entre dezembro e fevereiro, ele aplicou em média 18 mil multas, sendo o campeão de autuações. Em março, foram 9.029. Ali, foram colocadas mais placas com indicação da velocidade, o limite foi pintado no chão e foi instalado um sonorizador.

Outro equipamento que passou pelo projeto foi o que fica na marginal Tietê, perto da ponte da Vila Guilherme, que flagra quem trafega na pista exclusiva de ônibus, o segundo que mais autuava. O radar foi reposicionado, para que o motorista, ao sair das lojas próximas dali, consiga não invadir o trecho proibido. Nesse local, o total de  multas caiu de 18.688 em dezembro para 10.697 em março. Para o secretário, isso aconteceu porque mais motoristas, com essas medidas, respeitaram as regras.

Loading...
Revisa el siguiente artículo