Após queixas, Santo André deve acabar com ‘quentinha’ terceirizada

Por Cadu Proieti - Metro ABC
Marmitas têm arroz, feijão, carne, legumes salada e pão - | divulgação/sindserv
Após queixas, Santo André deve acabar com ‘quentinha’ terceirizada

Após início de um abaixo-assinado pedindo melhorias nas refeições oferecidas aos servidores públicos municipais de Santo André, entregues por empresa contratada, a prefeitura informou que a pretende acabar com as “quentinhas” terceirizadas dadas aos funcionários da administração municipal.

Nesta semana, os trabalhadores contratados pelo Executivo começaram a colher assinaturas para pedir que o município pare de servir as atuais alimentações e passe e oferecer vale-refeição. Segundo eles, já há aproximadamente mil adesões ao pedido. 

“As marmitas chegam em péssima qualidade, frias,  muitas vezes inadequadas para o consumo. Infelizmente, temos encontrado até larvas e insetos na comida. Elas chegam atrasadas. O horário de almoço é entre 11h e 12h, e a refeição chega às 13h, 14h. Teve dia que nem chegou e os trabalhadores ficaram com fome”, reclamou o servidor da secretaria de Educação Rodrigo Gomes Abreu, um dos líderes do movimento por mudanças na alimentação dos funcionários públicos.

Segundo o texto do abaixo-assinado, a mudança seria uma forma de promover “igualdade de benefícios”, já que, de acordo com os servidores, os trabalhadores do Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André) e do serviço funerário municipal já recebem o valor mensal da alimentação em cartão.

“Sabemos também que vem um desconto mensal de 0,09% a cada refeição, o que daria, em média,  cerca de R$ 2 cada. Porém, sob a gestão dessas empresas, são repassados outros R$ 13 ou R$ 14, o que daria para conceder um vale-refeição, no mínimo, de R$ 15 por dia”, diz o documento.

O texto será encaminhado para o prefeito Paulinho Serra (PSDB) e à Câmara. Segundo Abreu, os servidores irão ao Legislativo para formalizar a reclamação em tribuna livre no dia 1º do mês que vem.

Justificativa

Diante das queixas, a prefeitura informou que não está satisfeita com o serviço de fornecimento de alimentos prestado pelas terceirizadas. “Por isso, estamos assumindo novamente o controle dos restaurantes, como já ocorreu no Paço e na unidade Guarará, entre outros. A ideia é até o final do ano não termos mais refeições terceirizadas”, diz nota da administração municipal.

Segundo o governo do município, o fornecimento das marmitas é feito pela empresa Apetece desde 17 de março, após a fornecedora anterior, Provac, interromper de forma inesperada a produção. A atual empresa assumiu o serviço porque já possuía contrato com a Craisa (Companhia Regional de Abastecimento Integrado de Santo André).

A empresa Apetece informou que possui “rigorosíssimos processos de higiene, tanto dos alimentos quanto de utensílios, equipamentos e profissionais envolvidos no preparo dos serviços de alimentação”.

A empresa alega ainda que o processo de preparação das refeições é regulado e fiscalizado pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

Loading...
Revisa el siguiente artículo