Suplicy é liberado após ser detido em SP

Por Carolina Santos
O ex-senador Eduardo Suplicy é detido pela Polícia Militar l Uriel Punk/Futura Press O ex-senador Eduardo Suplicy foi detido pela Polícia Militar l Uriel Punk/Futura Press

O ex-senador e ex-secretário de Direitos Humanos de São Paulo Eduardo Suplicy foi liberado na tarde desta segunda-feira após ser detido durante uma reintegração de posse nesta manhã. Em vídeo postado em sua página Facebook, Suplicy afirma que se deitou no chão para impedir um possível confronto entre os PMs (policiais militares) e os moradores do local.

“Eu expliquei ao delegado titular que a hora que eu vi um grupo de policiais militares avançando com escudos e uma escavadeira em direção aos moradores fiquei com receio de que pudesse haver uma cena de violência quase que incontrolável. Então eu falei vou me deitar para prevenir e evitar qualquer cena de violência”, explicou a jornalistas que estavam no 75º Departamento de Polícia, para onde foi levado após a confusão.

Leia mais:
Veja o vídeo em que Suplicy é detido ao tentar impedir reintegração de posse
Manifestantes fazem ato contra reintegração que atinge 350 famílias em SP

Ainda por meio da rede social, a assessoria do político afirmou que sua posição é “contra a truculência inaceitável da PM, especialmente da Tropa de Choque, na desocupação de área ocupadas. A presença dele foi para inibir a violência contra os moradores, sendo muitas crianças”.

O político foi carregado por quatro policiais, pelos braços e pelas pernas, por volta de 11h desta manhã.

Suplicy fala com Datena após ser liberado; assista:

 

Reintegração

A reintegração de posse no bairro Jardim Raposo Tavares teve início na madrugada. Moradores que vivem no terreno, que é da prefeitura de São Paulo, fizeram uma manifestação para evitar retomada das terras. No total, 350 famílias habitam o terreno e afirmam que não têm para onde ir.

O grupo chegou a colocar fogo em objetos e armou barricadas. A PM arremessou bombas de gás lacrimogêneo para tentar dispersar os manifestantes.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo