Base da PM é atacada a tiros na zona leste de São Paulo

Por Carolina Santos
Lojas fecharam na zona norte após boato de toque de recolher | Julia Chequer/Folhapress Lojas fecharam na zona norte após boato de toque de recolher | Julia Chequer/Folhapress

Uma base da PM (Polícia Militar) foi atacada a tiros por volta das 6h de domingo, na avenida Jacu Pêssego, zona leste. Ninguém ficou ferido.

O caso foi registrado no 53.º Distrito Policial (Parque do Carmo), que investiga o ataque. Ninguém havia sido preso até as 22h de domingo.

Na quinta-feira, comerciantes da mesma região fecharam as portas depois de boatos de um toque de recolher. Um ônibus chegou a ser depredado também na Jacu Pêssego.

Na terça-feira, uma onda de ataques a um ônibus, caminhões e a um carro, deixou o paulistano em clima de insegurança.

Na zona norte, O comércio dos bairros da Vila Sabrina, Jardim Brasil e Edu Chaves baixou as portas mais cedo após uma onda de boatos sobre possíveis ataques do PCC. As informações circularam pelas ruas da região e em redes sociais. As supostas ordens teriam relação com a morte de um suspeito de integrar a facção, no domingo da semana passada.

Os boatos ganharam mais força após uma operação da polícia contra traficantes na região, logo pela manhã. Houve também relatos de que motoqueiros passavam pelas ruas da região, ordenando que os moradores ficassem dentro de casa.

Escolas particulares, como o Instituto Educacional Doce Vida e Suely Nicollozzi, interromperam as aulas e recomendaram que os pais buscassem seus filhos mais cedo.

Na rede pública, as aulas foram mantidas, mas os pais que quiseram puderam buscar as crianças antes.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo