Pelo 2º dia, chuva deixa São Paulo em estado de atenção

Por lyafichmann
Nuvens carregadas na região da Lapa, na zona oeste  | André Lucas Almeida/Futura Press Nuvens carregadas na região da Lapa, na zona oeste | André Lucas Almeida/Futura Press

O paulistano voltou a enfrentar problemas nesta quarta-feira com a chuva. A Defesa Civil colocou quase toda a capital em estado de atenção. Foram registrados 18 pontos de alagamento,  três deles intransitáveis.

Também houve alagamentos em vias importantes como as avenidas Jacu-Pêssego, na zona leste,  Santo Amaro e Guido Caloi, na zona sul.

O aeroporto de Congonhas fechou para pousos e decolagens por meia hora, entre 15h55 e 16h25. As linhas 1, 2, 3 e 5 do metrô precisaram operar com velocidade reduzida.

A chuva mais intensa começou por volta das 16h, nos bairros Butantã, Pinheiros, Campo Limpo e Santo Amaro. Apenas a zona leste não entrou em estado de atenção.

O trânsito voltou a ficar complicado. A CET chegou a registrar 215 km de congestionamentos às 19h, quase o dobro da média para o horário (116 km). No início da noite, a chuva deu uma trégua. Apenas garoava em pontos das zonas sul e oeste.

As chuvas dos dois últimos dias foram suficientes para colocar novembro dentro da normalidade. Na terça-feira, São Paulo registrou o maior volume de chuva desde abril.

De acordo com o CGE (Centro de Gerenciamento de Emergências), o volume acumulado em novembro foi de 144,9 mm até as 19h desta quarta, 12,8% acima da média histórica de 128,4 mm. Bem diferente de outubro, com 17,9 mm acumulados, enquanto o esperado é de 116,4 mm.

Nesta quinta, as chuvas continuam, mas menos intensas, de acordo com o Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia).

As temperaturas variam entre 19oC e 26oC. Na sexta, o sol aparece entre nuvens, e apenas chuviscos devem atingir a capital. As temperaturas continuam amenas. A máxima não passa dos 23oC.

Não havia imóveis próximos ao terreno | Tiago Silva/Metro ABC Não havia imóveis próximos ao terreno | Tiago Silva/Metro ABC

Dois morrem em deslizamento

As chuvas que atingiram a região metropolitana terça-feira provocaram duas mortes na madrugada desta quarta. Com o terreno molhado, um muro de arrimo desabou após um deslizamento de terra em Diadema, no ABC.

De acordo com a Defesa Civil, as vítimas eram moradores de rua. Eles foram soterrados após montarem um barraco próximo ao muro de arrimo.

Quatro dos seis sistemas registram nível mais alto

As chuvas desta terça fizeram com que quatro dos seis sistemas de abastecimento de água da Grande São Paulo registrassem aumento no volume armazenado, segundo a Sabesp.

Entre eles, o sistema Guarapiranga foi o que teve maior alta (1,5%), subindo de 31,9% para 33,4%. Foram registrados 69,6 mm de chuva sobre as represa.

O Alto Tietê subiu 0,1%, indo de 5,7% para 5,8%.

Juntos, os reservatórios Alto Cotia e Rio Grande tiveram alta de 2%, chegando a 29,1% e 63,8%, respectivamente, .

O sistema Rio Claro registrou queda de 0,4%, caindo de 30,7% para 30,4%.

No Cantareira, nem os 22,1 mm de chuva sobre os mananciais impediram um novo recuo de 0,1%. O sistema operava com 9,2%. A Sabesp afirmou que, em novembro, o reservatório recebeu 76,3% de chuvas esperadas, de acordo com a média histórica.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo