Polícia indicia suspeito de estupro na USP; acusado era funcionário terceirizado

Por lyafichmann
Faculdade de Medicina da USP investiga abusos | Eduardo Anizelli/Folhapress Caso aconteceu em 2011, na festa Carecas no Bosque, na Faculdade de Medicina | Eduardo Anizelli/Folhapress

A Polícia Civil de São Paulo indiciou um homem suspeito de estuprar uma estudante na FMUSP (Faculdade de Medicina da USP). O crime ocorreu em 2011, e o suspeito continua em liberdade. Seu nome não foi divulgado pela polícia.

Na época, ele foi ouvido durante o inquérito e negou o crime. O suspeito era funcionário terceirizado da USP e participava da festa Carecas no Bosque, – na sede da Medicina, na avenida Dr. Arnaldo em Pinheiros, zona oeste – organizada pelo Centro Acadêmico Oswaldo Cruz.

A vítima era caloura do curso de Medicina e, explicou que depois de beber demais, foi deixada por um amigo dormindo em um recinto privado do local.  Quando o amigo retornou, um homem foi flagrado estuprando a jovem.

Segundo testemunhas, o rapaz ofereceu dinheiro para os seguranças da festa para que pudesse entrar no “quarto”.

O suspeito chegou a apanhar de um estudante de medicina e foi agarrado por um segurança da festa, mas acabou sendo liberado.

O homem foi indiciado por estupro pela delegada Celi Carlota, da 1ª Delegacia da Mulher. De acordo com a SSP (Secretaria da Segurança Pública), outras duas testemunhas ainda serão ouvidas antes da conclusão do inquérito.

A decisão ocorreu após três alunas de medicina relatarem, em audiência pública na Assembleia, terem sido vítimas de estupros em festas da faculdade. Anteontem, a Promotoria de Justiça dos Direitos Humanos  informou que agendou uma reunião com a diretoria da FMUSP e a Procuradoria da USP para discutir as propostas de combate aos casos de abuso sexual contra alunas no campus.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo