Haddad se reúne com prefeitos para discutir aumento de ônibus

Por fabiosaraiva
Após encontro, Haddad foi de helicóptero ao Instituto Butantan | Fábio Vieira/Código19/Folhapress Após encontro, Haddad foi de helicóptero ao Instituto Butantan | Fábio Vieira/Código19/Folhapress

O prefeito Fernando Haddad (PT) e chefes do Executivo de outras seis cidades da Grande São Paulo se reuniram nesta terça-feira, na sede da prefeitura para discutir o aumento das tarifas de ônibus.

Congeladas desde o passado, após uma onda de manifestações obrigar os prefeitos a recuar dos aumentos adotados, o encontro  teve como pauta a possibilidade de um reajuste único em 2015.

Procurada, a Prefeitura de São Paulo negou que o aumento das tarifas de ônibus tenha entrado em discussão durante a reunião. O tema teria sido a crise hídrica enfrentada pelos municípios. Uma série de medidas para enfrentar a seca será apresentada em conjunto no dia 25.

No entanto, os outros seis prefeitos que participaram do encontro, todos do PT, confirmaram que o reajuste nas passagens foi colocado em debate.

A avaliação é de que não dá mais para fugir do tema, já que a manutenção dos valores atuais colocará em risco obras e projetos para o próximo ano.

Entre as propostas que serão avaliadas, está a adoção de uma tarifa padronizada, de R$ 3,40, em todas as cidades. A medida pode reduzir os efeitos de novos protestos.

No ano passado, Haddad aumentou a tarifa de R$ 3 para R$ 3,20, mas depois de uma série de manifestações, depois recuou.

A manutenção da tarifa de ônibus na capital em R$ 3 obrigará Haddad a repassar, por meio de subsídios, R$ 2 bilhões para as empresas de transporte até o final de 2015.

O congelamento da passagem ainda pode reduzir o número de interessados em participar da nova licitação para o serviço, que deve ser aberta em março.

 

Prefeitura abre licitação para obras de corredores

A Prefeitura de São Paulo abriu a licitação de 4 lotes de obras de corredores de ônibus na cidade.

Segundo a SPTrans, as obras custarão R$ 1,2 bi e devem ter início em 2015. Os recursos serão destinados pelo governo federal através do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) Mobilidade.

A licitação faz parte do Plano Municipal de Mobilidade Urbana que prevê entregar 150 km de corredores até 2016.

Atualmente, a cidade de São Paulo possui dez corredores, com 120,9 km de extensão.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo