São Paulo registra a menor taxa de assassinatos; Alagoas tem a maior

Por lyafichmann

São Paulo registrou 4.444 homicídios dolosos (com intenção) no ano passado, média de um a cada duas horas, segundo o 8º Anuário Brasileiro de Segurança Pública, lançado nesta terça-feira.

O índice de assassinatos para cada grupo de 100 mil habitantes no Estado é de 10,2, o mais baixo do país. O mais alto é o de Alagoas (58,5). Em 2012,o Estado havia registrado 6.209 ocorrências, taxa de 11,5 para cada 100 mil. O máximo tolerado pela ONU  (Organização das Nações Unidas) são 10 para cada 100 mil.

Em todo o país, a taxa média é de 23,7 homicídios para cada 10 mil. Foram 47.724 casos em 2013, com 50.806 vítimas, média de um a cada 5,8 minutos. Isso significa que, a cada dez minutos uma pessoa é assassinada no Brasil.  Em relação a 2012, quando a taxa de homicídios era de 25,9, houve redução de 2,6%. Nos últimos 26 anos, mais de 1 milhão de pessoas foram assassinadas no país.

Estado tem um quarto dos estupros de todo o país

A posição de São Paulo no ranking de estupros nos Estados não é tão animadora quanto a da taxa de homicídios.

Com 12.057 casos registrados no ano passado, o Estado ocupa o  primeiro lugar na lista. O Estado responde por um quarto (24%) dos 50.320 estupros ocorridos em todo o país. Mas houve redução de 6,43% em relação a 2012, quando foram registrados 12.886 estupros. O Rio de Janeiro, que ocupa o segundo lugar no ranking, registrou 5.613 casos. Na outra ponta aparece o Rio Grande do Norte, onde ocorreram no ano passado 236 casos de estupro, o menor do país.

Os números, alarmantes, podem ser ainda maiores porque a estimativa é de que somente 35% das vítimas prestem queixa.

20141112_SP02_ranking-de-mortes

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo