Mais três fazem denúncia de extorsão em CPI dos Alvarás

Por lyafichmann
Câmara pode ter recomposição de bancadas | Vanessa Carvalho/Brazil Photo Press/Folhapress Os novos casos chegaram à Promotoria por meio de uma fonte que vem colaborando com as investigações | Vanessa Carvalho/Brazil Photo Press/Folhapress

O MP (Ministério Público) recebeu informações dando conta de que mais três comerciantes foram alvos de tentativas de extorsão por parte dos dois funcionários que trabalhavam para a CPI dos Alvarás da Câmara Municipal.

Segundo o promotor Joel Silveira, dois empresários já foram identificados e um terceiro ainda será contatado pela Promotoria. Todos devem ser ouvidos nos próximos dias. Os novos casos chegaram à Promotoria por meio de uma fonte que vem colaborando com as investigações.

Os relatos obtidos pelos promotores indicam que, assim como o empresário que denunciou o esquema ao programa Fantástico, os três se reuniram com o engenheiro Roberto Torres, emprestado pela prefeitura à CPI, e com o ex-assessor parlamentar Antônio Pedace – que trabalhava para o vereador Eduardo Tuma (PSDB)– em uma sala do subsolo da Câmara.

Com relação aos documentos e computadores apreendidos nesta terça-feira em salas comerciais de propriedade de Torres, o promotor diz que o material será analisado nos próximos dias.

Um dos objetivos da Promotoria é identificar os arquitetos que regularizariam a situação dos comerciantes sob investigação mediante pagamento de propina.

O advogado de Torres afirma que ele nega as acusações. Pedace não se pronunciou.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo