Band ganha Prêmio Esso de telejornalismo; confira todos os vencedores

Por fabiosaraiva

Foram anunciados nesta quarta-feira os vencedores da 59ª edição do Prêmio Esso de Jornalismo. A Rede Bandeirantes foi a grande vencedora na categoria Telejornalismo, pela série de reportagens intitulada “O Avanço da Maconha”, feita pelo jornalista Fábio Pannunzio e equipe da Band e apresentada no Jornal da Band. (veja os vídeos com as reportagens no final deste texto)

Exibido em abril, o especial abordou polêmicas em torno da descriminalização da droga, com opiniões de usuários, políticos e profissionais de saúde. A equipe do telejornal viajou a países que regulamentaram o uso da maconha para fins medicinais e recreativos. No Uruguai, o repórter Fábio Pannunzio conversou com o presidente José Mujica, que explicou a estratégia para combater o narcotráfico e a violência.

“É um prêmio merecido. Sempre dedicado a fazer um trabalho diferenciado, Fábio Pannunzio é um dos maiores repórteres do Brasil. Essa série é um marco para o telejornalismo da Band e do país”, afirmou Fernando Mitre, diretor de jornalismo da Band.

A reportagem “Vila Socó – A Verdade Apagada”, exibida em julho também pelo Jornal da Band, recebeu a distinção de Melhor Contribuição ao Telejornalismo.

O repórter Rodrigo Hidalgo mostrou que o incêndio há trinta anos causado por um vazamento de gasolina em dutos da Petrobras pode ser o mais trágico da história do país. O número oficial de vítimas é 93, mas detalhes do processo indicam que os mortos podem ter passado de 500. Para a comissão do Prêmio Esso, o trabalho contextualizou a manobra do governo militar para esconder as mortes e deixar os responsáveis impunes.

Os premiados serão homenageados no dia 2 de dezembro de 2014 durante jantar no Rio de Janeiro.

Fotografia
Nesta edição, o Prêmio Esso de Fotografia foi concedido ao repórter-fotográfico Domingos Peixoto, do jornal O Globo, por registrar o momento em que Santiago Andrade, cinegrafista da TV Bandeirantes, é atingido por um foguete disparado por integrantes de manifestação violenta ocorrida no centro do Rio de Janeiro.

Após ser ferido na cabeça, Santiago passou por uma cirurgia de quatro horas e foi colocado em coma induzido, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

A categoria principal do Premio Esso ficou com o jornalista Leonencio Nossa pelo trabalho “Sangue Político”, publicado no jornal O Estado de S. Paulo. A reportagem envolveu um esforço de 17 meses de apuração e visitas a 35 cidades para revelar que 1.133 pessoas foram assassinadas por motivos políticos no Brasil desde a promulgação da Lei da Anistia, em 1979. O trabalho se baseou no próprio levantamento do jornalista e não teve origem em investigações ou dados do Ministério Público, das polícias e de outros órgãos do Poder Público.

Além do prêmio principal, foram contemplados outros 13 trabalhos, incluindo os prêmios Esso de Reportagem, Fotografia, Telejornalismo e dez premiações de categorias.

O Prêmio Esso de Reportagem foi conquistado pelos jornalistas Vinicius Jorge Sassine, José Casado, Danielle Nogueira e Eduardo Bresciani, com o trabalho “Farra de Aditivos na Refinaria Abreu e Lima”, publicado no jornal O Globo. A série de reportagens foi construída com base em documentos que revelam como o empreendimento se tornou um dos mais onerosos aos cofres públicos, a partir de uma série de termos aditivos aos contratos com as empreiteiras responsáveis pela obra.

O Prêmio Esso é concedido pela empresa ExxonMobil. Em 59 anos de existência, estima-se que mais de 32 mil trabalhos tenham sido submetidos ao julgamento das comissões do Prêmio Esso de Jornalismo, transformando a premiação na mais importante e tradicional da imprensa brasileira.

Foram inscritos no Prêmio Esso deste ano 519 reportagens e séries de reportagens impressas; 175 trabalhos fotográficos; 291 trabalhos de criação gráfica (Jornal, Revista e Primeira Página) e 62 trabalhos de telejornalismo. Aos vencedores, a ExxonMobil distribuirá R$ 112 mil em prêmios em dinheiro.

Veja a relação completa dos vencedores do Prêmio Esso de Jornalismo 2014:

PRÊMIO ESSO DE JORNALISMO 2014
Diploma e R$ 30.000,00
Leonencio Nossa, com o trabalho SANGUE POLÍTICO, publicado no ESTADO DE S. PAULO.

PRÊMIO ESSO DE TELEJORNALISMO 2014
Diploma e R$ 20.000,00
Fábio Pannunzio, Victor Sá, Anísio Barros, Denis Romani, Alziro Oliveira, Fernanda Chamlian, André Pereira, Fábio Nikolaus, Raphael Cadamuro e Diego Costa, com o trabalho O AVANÇO DA MACONHA, veiculado na REDE BANDEIRANTES.

PRÊMIO ESSO DE REPORTAGEM
Diploma e R$ 10.000,00
Vinicius Jorge Sassine, José Casado, Danielle Nogueira e Eduardo Bresciani, com o trabalho FARRA DE ADITIVOS NA REFINARIA ABREU E LIMA, publicado no GLOBO.

PRÊMIO ESSO DE FOTOGRAFIA
Diploma e R$ 10.000,00
Domingos Peixoto, com a sequência de fotos intitulada CRIME À LIBERDADE DE IMPRENSA, publicada no jornal O GLOBO.

PRÊMIO ESSO DE INFORMAÇÃO ECONÔMICA
Diploma e R$ 5.000,00
Vicente Nunes, Antonio Temóteo, Celia Perrone, Deco Bancillon, Diego Amorim, Luiz Ribeiro, Nívea Ribeiro, Rodolfo Costa, Rosana Hessel, Paulo Silva Pinto, Simone Kafruni e Vera Batista, com o trabalho 20 ANOS DO REAL, publicado no CORREIO BRAZILIENSE.

PRÊMIO ESSO DE INFORMAÇÃO CIENTÍFICA, TECNOLÓGICA OU AMBIENTAL
Diploma e R$ 5.000,00
Cristiane Segatto, com o trabalho O LADO OCULTO DAS CONTAS DE HOSPITAL, publicado na REVISTA ÉPOCA.

PRÊMIO ESSO DE EDUCAÇÃO
Diploma e R$ 5.000,00
Daniel Barros, com o trabalho A DIFERENÇA COMEÇA NA ESCOLA, publicado na REVISTA EXAME.

PRÊMIO ESSO ESPECIAL DE PRIMEIRA PÁGINA
Diploma e R$ 5.000,00
Humberto Tziolas, Joana Ribeiro, Giselle Sant’Anna, Eduardo Pierre, André Hippertt e Sidinei Nunes, com o trabalho NÃO VAI TER CAPA, publicado no jornal MEIA HORA (RJ).

PRÊMIO ESSO DE CRIAÇÃO GRÁFICA – CATEGORIA JORNAL
Diploma e R$ 5.000,00
Gil Dicelli, Luciana Pimenta, Guabiras e Pedro Turano, com o trabalho SERTÃO A FERRO E FOGO, publicado no jornal O POVO (Fortaleza).

PRÊMIO ESSO DE CRIAÇÃO GRÁFICA – CATEGORIA REVISTA
Diploma e R$ 5.000,00
Rafaela Ranzani, Fernando Luna, Alex Cassalho, Bruna Sanches e Ian Herman, com o trabalho DE OLHOS FECHADOS, publicado na TRIP.

PRÊMIO ESSO REGIONAL NORTE/NORDESTE
Diploma e R$ 3.000,00
Júlia Schiaffarino, com o trabalho VIDAS PARTIDAS, publicado no DIÁRIO DE PERNAMBUCO (Recife).

PRÊMIO ESSO REGIONAL CENTRO-OESTE
Diploma e R$ 3.000,00
Mateus Parreiras e Luiz Ribeiro, com o trabalho A NOVA FRONTEIRA DA SEDE, publicado no ESTADO DE MINAS.

PRÊMIO ESSO REGIONAL SUL
Diploma e R$ 3.000,00
Letícia Duarte e Félix Zucco, com o trabalho LIÇÕES DA TURMA 11F, publicado na ZERO HORA.

PRÊMIO ESSO REGIONAL SUDESTE
Diploma e R$ 3.000,00
Guilherme Amado, com o trabalho OS EMBAIXADORES DO NARCOSUL, publicado no jornal EXTRA (RJ).

MELHOR CONTRIBUIÇÃO À IMPRENSA
A Comissão de Premiação da Mídia Impressa concedeu a distinção de Melhor Contribuição à Imprensa à REVISTA PIAUÍ, “pelo resgate da grande Reportagem, o trabalho do texto e o aprofundamento de temas atuais, com informação e espírito crítico. Um convite à reflexão que é referência para novas gerações de jornalistas”.

A Comissão de Premiação de Telejornalismo, por sua vez, atribuiu a distinção de Melhor Contribuição ao Telejornalismo à equipe da Rede Bandeirantes, formada pelos jornalistas Rodrigo Hidalgo, Tony Chastinet, Camila Moraes, Alziro Oliveira, Eduardo Reis e Walter Colling, pelo trabalho VILA SOCÓ – A VERDADE APAGADA. Segundo a comissão, o trabalho “destacou-se pela busca da notícia, através de documentação inédita, entrevistas exclusivas com sobreviventes da tragédia e pesquisa histórica, que contextualizaram a manobra do governo militar para esconder a morte de centenas de pessoas e deixar impunes os responsáveis”.

Veja a série de reportagens premiada da Band.

Veja a reportagem sobre a Vila Socó:

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo