Idec divulga mapa com locais onde falta água em São Paulo

Por Carolina Santos
Reserva de Jaguari-Jacareí, em Bragança Paulista | Luis Moura/Folhapress Documento enviado pela Sabesp mostra lugares onde ocorre redução na pressão da rede em todas as regiões da cidade. | Luis Moura/Folhapress

Um mapa oficial da Sabesp, obtido pelo Idec (Instituto de Defesa do Consumidor), mostra o que a população já sabe: todas as regiões da cidade sofrem com cortes no fornecimento de água. De acordo com o instituto, os mapas trazem os locais exatos onde há redução de pressão na rede, o que pode provocar falta de água.

Embora a Sabesp negue que exista racionamento, pesquisa Datafolha divulgada na semana passada mostra que 60% dos paulistanos dizem ter ficado sem água em casa em algum momento nos últimos 30 dias.

Essa foi a primeira vez que a companhia reconhece publicamente que algumas zonas estão em nível crítico de abastecimento.

Para conseguir a liberação dos dados, o Idec usou a Lei de Acesso à Informação. Após não ter seu pedido de informações atendido dentro dos prazos, nem mesmo o recurso de primeira instância, o Idec apelou para a Corregedoria Geral da Administração do Estado.

Para Carlos Thadeu de Oliveira, gerente técnico do Idec, a liberação é uma vitória do consumidor. “Agora, o usuário que sofrer com falta de água tem mais elementos para exigir explicações da Sabesp. Para superar a crise, a empresa ainda deve mais informações ao cidadão, como os endereços exatos e horários de falta de água. A companhia tem a obrigação de disponibilizar isso em seu site.”

Em nota, a Sabesp afirma que a interpretação do Idec é equivocada e que o mapa mostra apenas a localização das válvulas redutoras de pressão, instaladas há 18 anos, para controle de perdas.
A companhia diz que, além de incorreta, a conclusão do Idec induz os consumidores a erro e cria pânico.

O Idec contesta a resposta e afirma que os mapas divulgados mostram as áreas críticas, e não os locais onde existem as válvulas.

Veja abaixo os mapas da Sabesp divulgados pelo Idec. As regiões em que há falta de água estão assinaladas em vermelho:

 

Mapa 1, que compreende as regiões dos bairros de: Brás (Canindé, Pari, Bom Retiro), Consolação, Paulista, Consolação, Cambuci (Jardim Glória), Ipiranga (Vila São José, Vila Dom Pedro II), Sacomã (Vila Independência, Vila Carioca, Vila Heliópolis, Cidade Nova Heliópolis), Vila Alpina. Clique para ampliar   

mapa1

Mapa 2, que compreende as regiões dos bairros de: Lapa, Casa Verde, Perdizes, Vila Romana, Sumaré, Pinheiros, Jardim América, Vila Mariana, Jabaquara, Sacomã, Cursino
Deriv. Brooklin (Vila Nova Conceição). Clique para ampliar 

mapa2

Mapa 3, que compreende as regiões dos bairros de: Moóca (Jardim Italia/ Vila Oratório/ Belenzinho/ Jd. Anália Franco), Carrão, Vila Formosa. Clique para ampliar 

mapa3

Mapa 4, que compreende as regiões dos bairros de: São Matheus, Jardim da Conquista, Jardim São Pedro, Sapopemba. Clique para ampliar

mapa4 copy

Mapa 5, que compreende as regiões dos bairros de: Penha (parte), Artur Alvim, Ermelino Matarazzo, Guaianazes, Cidade Tiradentes, Santa Etelvina, Itaquera, Deriv Vila Matilde (Jardim Itapema, Jardim Aricanduva, Jardim Marília), Carmo, Savoy, Vila Aricanduva, Vila Matilde Clique para ampliar

mapa5 copy

Mapa 6, que compreende as regiões dos bairros de: Penha (parte), Cangaíba, Jardim Popular, Artur Alvim, Ermelino Matarazzo, São Miguel Paulista, Itaim Paulista, Itaquera,Vila Matilde, Penha (Jardim Jaú, Vila São Geraldo e Vila Guarani), Vila Matilde (Jardim Itapema, Jardim Aricanduva, Jardim Marília) Clique para ampliar

mapa6 copy

Mapa 7, que compreende as regiões dos bairros de: Mairiporã – Irara Branca, Parque Cantareira, Horto (Tremembé, Vila Amélia, Jardim Itatinga), Vila Nova Cachoeirinha (Vila Basiléia, Cachoerinha, Jardim Centenário, Jardim Aida, Imirim, Limão, Jardim das Graças, Vila Carbone, Vila Palmeiras, Vila Santista), Casa Verde, Vila Brasilândia (Vila Bruna, Vila Cavaton, Chácara Nossa Senhora Aparecida, Jardim Mariliza, Vila Hermínia, Jardim Monte Alegre), Freguesia do Ó ( Jardim São José, Vila Portugal, Jardim São Ricardo, Jardim Iris, Vila Anastácio, Vila Ursulina, Vila Santa Delfina, Moinho Velho, Vila Picinin, Vila Brasilândia, Parque Monteiro Soares, Vila Julio Cesar, Itaeraba, Vila Palmeiras) Clique para ampliar 

mapa7

Mapa 8, que compreende as regiões dos bairros de: Parque Anhanguera, Perus, Jaragua, Pirituba, Vila Jaragua Clique para ampliar 

mapa8

Mapa 9, que compreende as regiões dos bairros de: Tremembé, Tucuruvi, Edu Chaves, Santana, Mirante, Vila Medeiros, Vila Maria Clique para ampliar 

mapa9

Mapa 10, que compreende as regiões dos bairros de: Jardim Angela, Jardim São Luiz, Pirajussara, Morumbi, Taboão da Serra – Jd Record, Raposo Tavares, Butantã, Butantã USP (Jardim Rizzo e Jardim São Remo), Butantã (Jardim Jaqueline e Jardim Peri Peri)
Vila Sonia Clique para ampliar 

mapa10

Mapa 11, que compreende as regiões dos bairros de: Embu – Vista Alegre, Embu – Centro, Embu – Santo Antonio, Embu – Deriv Santo Antonio (Sem ruas como referências), Itapecirica – Campestre, Itapecirica – Centro, Itapecirica – Embu Guaçu (Bairro mais próximo no Google Maps – Parque Santa Bárbara e Chácara Balbina), Embu Guaçu Centro, Jardim Angela, Jardim São Luiz, Santo Amaro (parte) Clique para ampliar 

mapa11

Mapa 12, que compreende as regiões dos bairros de: Jardim das Fontes, Colonia, Interlagos, Grajaú, Americanopolis (parte) Clique para ampliar 

mapa12

Mapa 13, que compreende as regiões dos bairros de: Brooklin, Brooklin Novo, Santo Amaro, Granja Julieta, Chácara Flora, Americanopolis, Campo Belo, Jabaquara, Vila do Encontro, Americanopolis – Pq Real Clique para ampliar 

mapa13

Ajuda ao Cantareira seca Alto Tietê e Guarapiranga

Para evitar um colapso no Cantareira, o governo estadual decidiu diminuir em cerca de 10% a vazão do sistema em março. A compensação no abastecimento da Grande São Paulo começou a ser feita em abril, com a transferência de cerca de 2 milhões de consumidores, que passaram a ser abastecidos pelas represas do Guarapiranga e Alto Tietê para a região metropolitana.

Com o início do “empréstimo”, os dois reservatórios secaram rapidamente nos últimos seis meses.

No Guarapiranga, o nível passou de 78,2%, no dia 28 de abril, para 40,8%, nesta terça, o índice mais baixo dos últimos 10 anos. No Alto Tietê, a situação não é diferente. Em abril, o reservatório operava com 36,3% de sua capacidade. Na terça, havia caído para 7,2%.

O Cantareira, por sua vez, também continua com queda constante. Na terça, o nível caiu 0,2%, atingindo 12,8%.

O valor inclui a segunda cota do volume morto. Desde sexta-feira, a Sabesp passou a considerar os 106 bilhões de litros da segunda reserva técnica, mesmo ainda não tendo data para captá-la. Sem o acréscimo, o nível do Cantareira estaria em 2,3%. 

20141029_SP04_reservatórios-falta-de-agua

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo