Presidente da Sabesp diz que orientação impediu alerta de economia de água

Por Tercio Braga

A presidente da Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo), Dilma Pena, afirmou neste ano, durante reunião com dirigentes da estatal, que uma “orientação de superiores” proibiu a empresa de alertar a população paulista sobre a necessidade de economia de água.

Leia também
• ONG lança aplicativo que diz de onde vem a água que abastece cada torneira de São Paulo
• Sabesp começa a utilizar segunda cota do volume morto em SP

O jornal “Folha de S.Paulo” divulgou nesta sexta-feira (24) um áudio da reunião, no qual se ouve Dilma Pena dizer sobre a necessidade de uma propaganda mais efetiva sobre o problema ocasionado pela falta d’água.

“Cidadão, economize água. Isso tinha que estar reiteradamente na mídia, mas nós temos superiores, e a orientação não tem sido essa, mas é um erro”, afirmou Pena na ocasião.

Na mesma reunião, o diretor metropolitano da Sabesp, Paulo Massato, disse que “não sabia o que fazer” com a situação crítica do Sistema Cantareira.

“Se repetir o que aconteceu nesse ano, do final de 2013 de outubro para cá, se voltar a se repetir em 2014, confesso que não sei o que fazer. Essa é uma agonia, uma preocupação”, confessou Massato em outro trecho da conversa, que também foi gravado.

Governo de SP nega orientação para mascarar situação

Em nota divulgada após a publicação da reportagem da “Folha de S.Paulo”, o governo do Estado afirmou que “nunca vetou qualquer alerta sobre a crise hídrica”.

“Ao contrário, o próprio governador (Geraldo Alckmin) concedeu mais de uma centena de entrevistas coletivas, desde fevereiro, para salientar a gravidade da maior seca já registrada na história. Nessas entrevistas, que podem ser facilmente localizadas nos arquivos de qualquer veículo de comunicação, o governador tem pedido a colaboração da população no uso racional da água e repetido à exaustão o fato de que choveu, neste ano, a metade do volume verificado em 1953, no qual se registrara, então, a maior estiagem”, dizia uma parte do comunicado.

Ainda segundo o governo de São Paulo, “cabe à Sabesp, empresa autônoma da administração indireta, composta por uma diretoria e um conselho de administração, esclarecer as circunstâncias e o sentido das frases gravadas e vazadas seletivamente a dois dias das eleições”.

Acionista majoritário da Sabesp, o governo de São Paulo pode indicar a maior parte dos membros do conselho de administração da estatal – a própria Dilma Pena foi colocada na cúpula da empresa em abril.


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo