Se não chover, só vai sobrar lodo no sistema Cantareira, afirma ANA

Por fabiosaraiva
Captação de reserva técnica na represa de Atibainha | Moacyr Lopes Junior/Folhapress Captação de reserva técnica na represa de Atibainha | Moacyr Lopes Junior/Folhapress

O presidente da ANA (Agência Nacional de Águas), Vicente Andreu, afirmou nesta terça-feira que, se não chover nos próximos meses dentro da média prevista, só restará ao governo tirar água do lodo do sistema Cantareira. Isso porque a Sabesp já terá captado todos os 106 bilhões de litros da segunda cota da reserva técnica do reservatório.

Andreu também afirmou que o uso da segunda cota é uma “pré-tragédia”. Nesta terça, o nível do Cantareira atingiu novo recorde negativo – 3,3% de sua capacidade.

Segundo Andreu, quando essa nova reserva técnica acabar, não será possível retirar uma terceira cota. “Se a crise se acentuar, é bom que a população saiba que não haverá alternativa a não ser ir no lodo [captar água]”, afirmou, durante debate sobre a falta de água na Assembleia Legislativa. O encontro foi organizado pela bancada do PT na Casa.

Horas depois, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) negou a informação de Andreu e disse que o Cantareira conta com  mais água abaixo das comportas.

“Caso seja preciso utilizar toda a segunda reserva, existe ainda uma terceira cota. Ou seja, a população pode ficar tranquila”, garantiu, durante entrevista à rádio Jovem Pan.

O presidente da ANA voltou a dizer que São Paulo desrespeitou a norma e retirou água da segunda cota do volume morto antes da autorização da agência. “Constatamos em uma vistoria que o volume do Atibainha [represa] estava centímetros mais baixo na régua. No dia seguinte, eles retiraram a régua e os técnicos não conseguiram fazer a medição.”

Andreu também rebateu as críticas do candidato à presidência pelo PSDB, Aécio Neves, que atribuiu o agravamento da crise da água em São Paulo à ausência de apoio do governo federal ao Estado de São Paulo.

“Todas essas insinuações que ele faz neste momento, no nosso ponto de vista, pouco ajudam para que a gente possa encontrar um consenso necessário para solucionar a crise”, disse.

Procurada, a Sabesp não se manifestou.

 

 

Seca na represa de Bragança Paulista | Moacyr Lopes Junior/Folhapress Seca na represa de Bragança Paulista | Moacyr Lopes Junior/Folhapress

Querem disseminar o pânico, diz secretário

O secretário-geral da Casa Civil, Saulo de Castro Abreu Filho, divulgou nota lamentando a avaliação do presidente da ANA. “É lamentável que o presidente de um órgão federal, financiado com o dinheiro do contribuinte, venha disseminar pânico em São Paulo.”

Ele também criticou Andreu por ter feito as considerações em evento organizado PT. “O pior foi ter feito em horário de trabalho, e em um evento patrocinado por um partido, em plena campanha eleitoral”.

Por fim, Abreu Filho acusa o presidente da ANA de fazer uso eleitoral da crise. “Em vez de solidarizar-se com o esforço do povo de São Paulo, o dirigente da agência tenta tirar proveito político de uma crise que se enfrenta com critérios técnicos e a união de todos. São Paulo enfrenta com união, planejamento e obras a maior seca já registrada”.

 

Reprodução Reprodução – Clique para ampliar

Alckmin pede retratação da ONU por crítica sobre crise

O governador Geraldo Alckmin enviou ofício ao secretário-geral da ONU (Organização das Nações Unidas), Ban Ki-moon, pedindo retratação  da entidade sobre as conclusões em relação à crise da água no Estado.

Alckmin diz que a relatora especial para água e saneamento da ONU, a portuguesa Catarina de Albuquerque, incorreu em “erros factuais” e fez uso político do tema ao conceder entrevistas às vésperas da eleição estadual, violando o código de conduta da ONU.

O documento foi enviado no dia 9 de setembro, 14 dias antes da Cúpula do Clima, em Nova Iorque, e divulgado pelo blog do jornalista Fernando Rodrigues.  O governo confirmou que Alckmin não compareceu à cúpula, que aconteceu em 23 de setembro, mas diz que sua ausência não teve relação com o entrevero.

O governo estadual enviou nota ao blog afirmando que Alckmin nunca “atacou” a ONU e que o ofício mencionado é uma resposta do governador a um convite feito pelo secretário-geral Ban Ki-moon para participar da Cúpula do Clima.

 

Sabesp aprova dois novos bônus por economia

A Sabesp anunciou novos bônus para quem economizar água na região metropolitana. Segundo a companhia, serão duas faixas de desconto: 10%, para quem economizar de 10% a 15% na comparação com a média de consumo dos últimos 12 meses. E 15% de abatimento, para quem conseguir reduzir o gasto entre 15% e 20%.

As medidas ainda terão de ser aprovadas pela Arsesp (Agência Reguladora de Saneamento e Energia de São Paulo) para entrarem em vigor.

Atualmente, só clientes que reduzem 20%  têm direito a um desconto de 30%.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo