Detentos cedem à negociação e encerram motim em penitenciária no PR

Por Carolina Santos
Detentos da Penitenciária Estadual de Maringá mantiveram dois agentes reféns em rebelião  | Divulgação/Sindarspen Detentos da Penitenciária Estadual de Maringá mantiveram dois agentes reféns em rebelião | Divulgação/Sindarspen

Terminou por volta das 10h a rebelião na Penitenciária Estadual de Maringá, no norte do Paraná. Segundo a Secretaria da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos (Seju) do Estado, não houve danos estruturais e os dois agentes penitenciários feitos reféns pelos detentos foram libertados sem ferimentos.

Para o fim do motim, foi negociada a transferência de 20 detentos para outras unidades prisionais do estado (Complexo Penitenciário de Piraquara e penitenciárias estaduais de Londrina e Foz do Iguaçu).

O motim começou por volta das 17h30 de domingo e, segundo a Seju, os presos estavam isolados em uma galeria do presídio e não foram seguidos por outros detentos. A capacidade da Penitenciária Estadual de Maringá é de 374 detentos, mas, até a transferência, abriga 400.

Somente neste ano, o Paraná teve 22 rebeliões e 45 agentes feitos reféns, segundo o sindicato da categoria. A última foi na semana passada, na Penitenciária Industrial de Guarapuava. Ao todo, oito pessoas ficaram feridas, sendo cinco presos e três agentes penitenciários.

 

Loading...
Revisa el siguiente artículo