Tia-avó ganha guarda de menina torturada por padrasto

Por Tercio Braga

A Justiça de São Paulo concedeu a guarda da menina torturada pelo padrasto, no interior de São Paulo, a uma tia-avó. A menina que ficou 15 dias em um abrigo de Araçatuba foi levada nesta quarta-feira pela tia-avó materna. A criança que, recentemente completou 3 anos, foi tirada da mãe depois das denúncias de que era torturada pelo padrasto, o empresário Maurício Scaranello, de 35 anos.

Vídeos encontrados pela polícia no celular dele mostram a menina andando com as pernas amarradas com uma fita adesiva, e pedindo para o padrasto deixá-la dormir ou comer. Além do padrasto, a mãe da criança, Sara de Andrade Ferreira, de 21 anos, foi presa.

Segundo a Justiça, ela filmou, fotografou e participou das agressões físicas e psicológicas. Os dois estão na Penitenciária de Tremembé. Um laudo do Instituto Médico Legal apontou que a menina não sofreu abuso sexual.

A Polícia Civil indiciou Maurício e Sara pelos crimes de tortura e por guardar material considerado pornográfico da criança. O pai biológico, a avó materna e dois tios-avós também pediram na Justiça a guarda da menina.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo