Volume do sistema Cantareira cai para 5,1%, o menor nível da história

Por Carolina Santos

O volume de água do S]sistema Cantareira, principal manancial de abastecimento de São Paulo, atingiu nesta sexta-feira, dia 11, o menor nível da história, passando de 5,3% para 5,1%, segundo o monitoramento diário feito pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp). Há um ano, o nível do sistema era 39,8%. O índice pluviométrico no mês no Sistema Cantareira é 0,4 milímetros (mm). A média histórica de chuva para outubro, segundo a Sabesp, é 130,8 mm.

Leia também:
Justiça de SP proíbe Sabesp de captar água da 2ª cota do volume morto do Cantareira

A Sabesp entregou nessa sexta para a Agência Nacional de Águas (ANA) o plano para a exploração da segunda cota do volume morto do Sistema Cantareira. Segundo a ANA, o plano e as regras de funcionamento dos equipamentos de bombeamento já instalados no sistema, e também os previstos para serem implantados, são imprescindíveis para a análise e a autorização dos volumes adicionais do segundo volume morto. “A análise dos documentos será feita pela ANA o mais rápido possível”, disse a agência em nota.

Mais cedo, a Justiça determinou, por meio de liminar, que a ANA e o Departamento de Águas e Energia Elétrica do Estado de São Paulo (Daee) revejam as vazões de retiradas do Sistema Cantareira pela Sabesp. O objetivo é garantir que o consumo da primeira parte da reserva técnica não se esgote antes de 30 de novembro e que não haja prejuízos às vazões para a bacia hidrográfica dos rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo