Vítima de sequestro-relâmpago morre no porta-malas do carro após acidente

Por Carolina Santos
Vítima estava no porta-malas |  Edu Silva/Futura Press Vítima estava no porta-malas | Edu Silva/Futura Press

Uma vítima de sequestro relâmpago morreu dentro do porta-malas de seu próprio veículo na noite de quarta-feira. O maquinista da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) Edcarlos Santana, de 26 anos, morreu depois de os sequestradores baterem e capotarem o carro, um Ford Focus preto, na tentativa de fugir de PMs (policiais militares) na zona oeste da cidade.

Segundo a SSP (Secretaria da Segurança Pública), Santana estava de folga quando foi surpreendido por três criminosos, dois deles menores de idade. Ele havia saído de casa para passear, segundo familiares, quando os criminosos chegaram e o obrigaram a entrar dentro do porta-malas do veículo.

PMs que estavam patrulhando a região da Vila Leopoldina desconfiaram dos três ocupantes do Focus e deram ordem para o motorista parar. Segundo a PM, o motorista, um servente de 26 anos, acelerou e teve início uma perseguição pelas marginais Pinheiros e Tietê. Os sequestradores só pararam na rodovia Anhanguera.

Nas marginais, eles bateram em pelo menos quatro veículos. No km 14 da Anhanguera, o motorista perdeu o controle da direção. Bateu em um veículo, depois em um poste. Com o impacto, capotou. A PM afirma que os três desceram do carro atirando contra os policiais, que revidaram. O maquinista só foi encontrado depois, quando os policiais faziam vistoria no veículo. Segundo a major da PM Dulcinéia de Oliveira, o resgate foi acionado, mas Santana não resistiu aos impactos da batida.

O motorista foi preso, e os dois menores de idade, uma menina de 15 anos e um garoto de 17, foram apreendidos e encaminhados para a Fundação Casa (antiga Febem). O motorista e o rapaz tiveram ferimentos leves e foram encaminhados pelo resgate do Corpo de Bombeiros ao Hospital da Cachoeirinha.

A menina levou um tiro de raspão no braço, foi levada ao mesmo hospital, onde passou por cirurgia, e não corre risco de morte. Eles afirmaram que o sequestro começou em Osasco.

Com eles, foi apreendido um revólver calibre 38. A polícia investiga para onde a vítima seria levada e se há participação de outras pessoas no crime.

Segundo a SSP, os três serão autuados por roubo, homicídio e resistência à prisão. A PM e a Secretaria da Segurança Pública afirmaram na tarde de ontem que vão investigar a conduta dos policiais que se envolveram na perseguição.

Santana trabalhava na CPTM havia dois anos.


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo