Orçamento de 2015 prevê investimento 27% menor em São Paulo

Por Tercio Braga
A gestão Haddad prevê ainda um subsídio de R$ 1,7 bilhão para as empresas de ônibus | André Porto/Metro A gestão Haddad prevê ainda um subsídio de R$ 1,7 bilhão para as empresas de ônibus | André Porto/Metro

O prefeito Fernando Haddad (PT) enviou nesta terça-feira à Câmara Municipal a LOA (Lei Orçamentária Anual) de 2015.

Segundo o documento, que ainda precisa ser aprovado pelos vereadores, a prefeitura estima investir R$ 7,8 bilhões no ano que vem, ante os cerca de R$ 11 bilhões estipulados para 2014 – redução de 27%.

O orçamento previsto para o ano que vem, R$ 51,3 bilhões, representa um aumento de 1,5% em relação à verba de R$ 50,5 bilhões deste ano (veja quadro abaixo).

Pelo projeto, cerca de R$ 7,8 bilhões devem chegar aos cofres da administração municipal por meio de transferências federais. Dessa quantia, R$ 4,3 bilhões devem ser investidos.

A gestão Haddad prevê ainda um subsídio de R$ 1,7 bilhão para as empresas de ônibus.

O valor, que representa um novo recorde, quase dobrou desde 2012, quando o então prefeito Gilberto Kassab (PSD) deixou o governo pagando R$ 980 milhões em subsídios às empresas do setor.

A maior fatia dos recursos será destinada à implantação de novos corredores de ônibus, que receberão R$ 1,034 bilhão.

Em seguida, aparecem as obras em bacias de córregos, com R$ 956 milhões, programas de mananciais, com previsão de R$ 882 milhões, e construção de unidades habitacionais (R$ 438 milhões).

Segundo a Secretaria do Planejamento, a suspensão da lei que previa alta de até 35% no IPTU é um dos principais entraves para aumentar os investimentos da prefeitura para o ano que vem.

Os vereadores devem votar a LOA 2015 apenas no final do ano, após o segundo turno das eleições.

areas-que-receberao-verba


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo