Policial militar que matou camelô responderá em liberdade

Por fabiosaraiva

O policial militar que matou um camelô com um tiro na última quinta-feira, na Lapa, zona oeste de São Paulo, vai responder ao processo em liberdade.

O habeas corpus para o soldado Henrique Dias Bueno de Araújo foi expedido e o PM será liberado ainda nesta segunda-feira, após ser mantido preso desde a semana passada no presídio militar Romão Gomes.

O camelô Carlos Augusto Muniz Braga, de 30 anos, foi baleado durante um tumulto em meio à uma operação policial contra a venda de produtos contrabandeados. Ele tentou tirar das mãos do policial um spray de pimenta e foi baleado pelo agente.

Além do caso do camelô, o PM também responde pela morte de um morador de rua, ocorrida em março deste ano. Nos autos, consta que o policial reagiu em legítima defesa e no estrito cumprimento do dever legal.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo