Policiais militares voltam a entrar em confronto com grupos no centro de SP

Por Carolina Santos

O comércio voltou a fechar as portas na região central de São Paulo depois de um homem atirar uma pedra na direção de policiais, que revidaram com bombas de efeito moral.

Mais cedo, uma reintegração de posse na avenida São João gerou um enfrentamento entre moradores e policiais. O conflito terminou com 70 pessoas detidas para averiguação e cinco agentes feridos.

Leia mais:
Ônibus é incendiado durante a reintegração de posse
Detida em manifestação confessa ter ateado fogo em ônibus, diz PM

Permanecem presas nove pessoas: dois homens por lesão a policiais militares, mais seis por furto e uma mulher, que ateou fogo em um ônibus.

De acordo com o Coronel da Polícia Militar Mauro Lopes, a situação nos arredores das avenidas São João e Ipiranga ainda continua tensa no início da noite desta terça-feira e cerca de 120 agentes tentam manter a segurança.

Segundo o coronel, sempre que um protesto ficar violento, a “Polícia Militar vai agir com a energia que for necessária”. “A manifestação de poucas pessoas não pode prevalecer sobre o interesse coletivo como um todo”, afirmou Lopes em entrevista ao programa “Brasil Urgente”.

A polícia também recomenda que os moradores de São Paulo evitem a região central. Segundo a repórter Fernanda Albino, da Rádio Bandeirantes, a área mais perigosa do Centro nesta tarde é na Avenida São João, em frente ao Largo do Paissandu.

 

Reintegração de posse
A reintegração começou por volta das 6h30 desta terça-feira. Segundo os sem-teto, cerca de 200 famílias ocuparam o prédio, onde há cerca de seis meses funcionava um hotel. As famílias foram forçadas a deixar o local após decisão da Justiça. Na estimativa do grupo, por volta de 800 pessoas fazem parte da ocupação.

Após se negar a deixar o prédio, parte dos manifestantes lançou objetos contra os policiais militares, que revidaram com bombas de efeito moral. Com a chegada da PM, eletrodomésticos e móveis foram atirados do imóvel de 21 andares. Em outra frente, homens jogavam pedras e paus contra os PMs nas ruas do centro. Barricadas foram erguidas, algumas delas com fogo.

Em meio ao confronto entre os PMs e os ocupantes do prédio, um ônibus foi incendiado próximo ao Viaduto do Chá, ao lado do Theatro Municipal. Ninguém ficou ferido no ônibus.

[metrogallerymaker id=”355″]

PM detém 70 durante reintegração
Um grupo de 70 pessoas foi detido para averiguação e encaminhado ao 3º Distrito Policial (Campos Elíseos), após o confronto entre policiais militares e integrantes da ocupação, segundo a SSP (Secretaria de Segurança Pública).

Segundo o porta-voz da Polícia Militar, tenente-coronel Mauro Lopes, entre os presos está uma jovem que teria ajudado a atear fogo em um ônibus perto do Theatro Municipal. Ele afirmou também que, além da jovem, outras três pessoas foram detidas por vandalismo.

Grupo ataca PM e tenta saquear lojas no centro

O chefe do Comando de Policiamento da Capital (CPC), coronel Glauco Silva de Carvalho, afirmou que algumas pessoas se aproveitaram da reintegração de posse para atacar homens da Polícia Militar e tentar saquear o comércio local.

Durante o confronto, ouvintes da BandNews FM relataram que ficaram presos em prédios e lojas na região.

Veja imagens do conflito:

Trânsito
Por causa do confronto entre a PM e os sem-teto, a avenida São João chegou a ser interditada entre o largo do Paissandu e a avenida Ipiranga, o que afetou a circulação de 30 linhas de ônibus.

A CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) orientou os motoristas a evitarem a região central de São Paulo. Com o bloqueio total da Avenida São João, o desvio foi feito pelo largo do Paissandu, avenida Cásper Líbero e avenida Ipiranga.

Loading...
Revisa el siguiente artículo