Polícia conclui inquérito e assassino de Glauco é indiciado por crimes

Por Tercio Braga
Cadu foi preso há dez dias após uma perseguição policial, em Goiânia | Divulgação/Polícia Civil Cadu foi preso há dez dias após uma perseguição policial, em Goiânia | Divulgação/Polícia Civil

A Polícia Civil de Goiás concluiu dois inquéritos policiais contra Carlos Eduardo Nunes – assassino confesso do cartunista Glauco e do filho dele. Cadu foi preso há dez dias após uma perseguição policial, em Goiânia. Ele é acusado de balear um agente penitenciário durante um assalto em Goiânia no fim de agosto.

O servidor está internado em estado grave. Cadu também foi indiciado por matar um estudante, de 21 anos, após roubar o carro a vítima. Além do latrocínio e da tentativa, ele foi indiciado por receptação e porte ilegal de arma de fogo.

Apesar de ter confessado o duplo homicídio contra o cartunista Glauco e o filho dele, Carlos Eduardo estava em liberdade desde agosto do ano passado, porque tem um diagnóstico de esquizofrenia e foi considerado inimputável pela Justiça. Ou seja, incapaz de perceber a gravidade de seus atos.

A doença não tem cura, mas pode ser controlada. Cadu era acompanhado mensalmente pela Justiça de Goiás. Agora, ele está preso em Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana. O advogado do acusado disse que vai aguardar o estado se pronunciar em relação aos novos fatos para tomar as medidas cabíveis.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo