Obra de ciclovia vai bloquear faixas da Paulista por 6 meses

Por Tercio Braga

ciclovia-paulistaA prefeitura divulgou nesta terça-feira o projeto de uma ciclovia na avenida Paulista. O trecho, de 3,8 km ocupará o canteiro central da avenida.  Para a realização da obra, que deve começar em janeiro, duas faixas (uma em cada sentido) da avenida ficarão bloqueadas por pelo menos seis meses.

Segundo o secretário dos Transportes, Jilmar Tatto, a ciclovia vai encurtar as faixas de carros em 20 centímetros de cada lado – de 3 m, para 2,8 m. Já a pista de ônibus passará de 3,5 m para 3,3 m. As obras vão custar R$ 15 milhões. Como a avenida é tombada, o projeto ainda precisa ser apreciado pelos órgãos do patrimônio histórico, que receberão o projeto hoje.

Além da ciclovia, o projeto prevê o aterramento da fiação, iluminação reforçada e reforma nas áreas de travessia de pedestres. “Também vamos aproveitar a obra para revitalizar a Bernardino de Campos e deixá-la no padrão Paulista”, disse o secretário Tatto.

Durante as obras, a ciclofaixa de lazer, que funciona aos domingos e feriados, será desativada.

Segundo o secretário, o entorno da Paulista também ganhará ciclovias este ano. Serão implantadas vias para bicicletas em ruas como Haddock Lobo, Bela Cintra, Frei Caneca, Pamplona, Abílio Soares e Honduras.

O projeto também prevê que a ciclovia irá cruzar a Consolação e seguir até o fim da Paulista, onde será conectada ao Pacaembu por uma outra ciclovia na rua Itápolis.

A faixa de ônibus também irá cruzar a Consolação, onde hoje existe uma ilha para pedestres. A intervenção vai evitar que as 15 linhas que seguem sentido Higienópolis tenham que fazer o desvio pelas ruas Bela Cintra e Maceió, até chegar na avenida Angélica. “Calculamos que essa mudança traga um ganho de 15 minutos no tempo de viagem”, estima o secretário.

O plano da prefeitura prevê ainda a extinção de uma das faixas para carros no trecho da Paulista entre a Consolação e a Haddock Lobo, no sentido Paraíso. Para o diretor de Planejamento da CET, Tadeu Leite Duarte, a mudança não trará prejuízos à fluidez. “Os motoristas têm a opção de seguir pela alameda Santos”.

Inicialmente, o secretário havia prometido concluir a via para bicicletas até o final do ano. Mas a administração municipal voltou atrás para evitar  transtornos durante os tradicionais eventos de Natal e Ano Novo.  A meta do prefeito Fernando Haddad (PT) é entregar 400 km de ciclovias até o final de 2015. Até agora, foram implantados  58,3 km.

Tombamento impede radares na avenida

Com a implantação da nova ciclovia, a prefeitura pretende reduzir o limite de velocidade na avenida Bernardino de Campos, de 60 km/h para 50 km/h, assim como já foi feito na avenida Paulista.

Segundo o secretário dos Transportes, Jilmar Tatto, a medida tem como objetivo aumentar a segurança para os ciclistas.

O problema é que esse limite de velocidade não será fiscalizado por radares. Como a avenida Paulista é tombada pelo patrimônio histórico, a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) não pode instalar os equipamentos na via.

A companhia até chegou a testar radares móveis, mas os equipamentos não funcionaram por conta da interferência das antenas de TV no sinal de GPS, o que impedia a transmissão das imagens das placas dos motoristas e motociclistas flagrados desrespeitando o limite de velocidade. 

[metrogallerymaker id=”342″]

Loading...
Revisa el siguiente artículo