Abdelmassih é transferido para cela com cinco presos

Por Tercio Braga
Roger Abdelmassih chegando em São Paulo | Ernesto Rodrigues/Folhapress Roger Abdelmassih chegando em São Paulo | Ernesto Rodrigues/Folhapress

O ex-médico Roger Abdelmassih, condenado a 278 anos de prisão por atacar sexualmente 52 mulheres, foi transferido para uma cela com outros cinco presos. Ele também recebeu sua primeira vista, no fim de semana. Segundo a “Folha de São Paulo” a visitante foi sua mulher, a ex-procuradora da República Larissa Sacco, de 37 anos. Ela é monitorada pela Interpol por suspeita de ajudar o marido, que ficou desaparecido por três anos.

Abdelmassih permaneceu até a semana passada em uma cela separada na penitenciária de Tremembé, no interior, em regime de observação. A medida é comum para presos que chegam ao presídio. Nas primeiras noites, ele dividiu essa cela com seis policiais civis acusados de cometer crimes.

Agora, o ex-médico está no pavilhão habitacional do presídio e, segundo a SAP (Secretaria da Administração Penitenciária), já tem “convívio normal com a população carcerária”. A identidade dos novos companheiros não foi divulgada.

Abdelmassih foi capturado dia 19 de agosto em Assunção, no Paraguai.

Ele foi denunciado pela primeira vez ao Ministério Público em abril de 2008, por uma ex-funcionária de seu consultório,

As vítimas dizem ter sido surpreendidas por investidas do especialista quando estavam sozinhas com o ex-médico que, na época, era considerado um dos principais especialistas em reprodução humana do país. Três afirmam ter sido molestadas após serem sedadas.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo