Em vídeo, Bernardo mostra preocupação com irmã

Novas gravações de vídeo mostram que o garoto Bernardo Boldrini tinha preocupações com a meia irmã. Nas imagens, o menino de 11 anos morto em abril deste ano aparece falando que o pai e a madrasta também vão agredir a criança. Hoje, a menina vive com uma tia no interior do Rio Grande do Sul.

Segundo as investigações, Graciele Ugulini trata a filha e o enteado de formas completamente diferentes. Quando policiais chegam à casa da família, após os gritos de socorro, a madrasta aproveita que está sozinha com o garoto para disparar xingamentos. Mas quando Graciele está sozinha com a filha, ela se transforma em uma doce mãe.

Os novos vídeos que mostram a relação do casal com Bernardo foram entregues à Justiça na semana passada. O pai, Leandro Boldrini, apagou os arquivos do celular, mas peritos conseguiram recuperam o material.

 

A menina Maria Valentina, hoje com um ano e cinco meses, vive em Santo Augusto, no norte gaúcho. A tia dela, Simone Ugulini, afirmou que a família não fala sobre o crime perto da criança.

Na próxima segunda-feira, ocorre a segunda audiência do caso Bernardo. A Justiça precisa ouvir ainda mais de 70 testemunhas, para depois definir a data do julgamento. Quatro réus respondem pelo crime: Leandro, Graciele, a amiga dela Edelvânia Wirganovicz e seu irmão, Evandro. Todos estão detidos em penitenciárias do Rio Grande do Sul.

Entenda o caso

Bernardo Boldrini, de 11 anos, desapareceu em 4 de abril. O corpo dele foi encontrado na noite do dia 14 do mesmo mês, em Frederico Westphalen, dentro de um saco plástico e enterrado às margens de um rio.

Edelvânia Wirganovicz, amiga da madrasta Graciele, admitiu o crime e apontou o local onde a criança foi enterrada. O pai, a madrasta e os irmãos Wirganovicz foram denunciados pelo Ministério Público por homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver e falsidade ideológica.

A denúncia foi aceita pelo Juiz Marcos Luis Agostini em maio. Os réus seguem presos.

Loading...
Revisa el siguiente artículo