Conselho da USP aprova plano de demissão voluntária

Por Carolina Santos
Professores terão possibilidade de demissão voluntária | Edson Silva/Folhapress Professores terão possibilidade de demissão voluntária | Edson Silva/Folhapress

O Conselho Universitário da Universidade de São Paulo (USP) aprovou nesta terça-feira um plano de incentivo à demissão voluntária de funcionários da universidade. Ele não é válido para professores. De acordo com a reitoria, a USP usará R$ 400 milhões de suas reservas para colocá-lo em ação. Cerca de 1,7 mil funcionários poderão participar.

Segundo o reitor da USP, Marco Antonio Zago, o plano começará a ser colocado em prática já a partir de amanhã, mas será efetivado apenas em 2015, quando os contratos de rescisão começarão a ser assinados.

“É uma absoluta novidade na USP. Nunca foi feito em nenhuma das três universidades paulistas. É um processo de gestão moderna, usado amplamente em todos os setores, privados e públicos”, destacou Zago. “Nós temos um quadro muito grande de servidores, 17 mil, e por outro lado você conversa com dirigentes das atividades-fim e eles sentem necessidade de gente. Nós precisamos readequar isso tudo, e uma das maneiras é enxugar o quadro”, acrescentou.

O plano de demissão voluntária prevê vantagens como um salário atual por ano trabalhado na USP, até o máximo de 20 salários, mais 40% sobre o valor do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço.

Loading...
Revisa el siguiente artículo