Transportadora cobra R$ 550 para encher piscina com água da Sabesp

Por Carolina Santos
Água dos reservatórios da Sabesp é vendida irregularmente | Luis Moura/ Folhapress Água dos reservatórios da Sabesp é vendida irregularmente | Luis Moura/ Folhapress

Um dia após a primeira denúncia, a Rádio Bandeirantes descobriu mais uma empresa que vende ilegalmente milhares de litros de água desviados de reservatórios da Sabesp (Companhia de Saneamento de São Paulo).

Segundo o dono da transportadora, de Embu Guaçu, é só pagar R$ 550 para conseguir encher uma piscina de 20 mil litros com água tratada, que deveria abastecer escolas e creches.

“Pode ser no reservatório de Itapecerica, de Embu Guaçu. Já fiz isso várias vezes, eu me garanto”, afirmou o homem por telefone com o repórter Agostinho Teixeira, que se identificou como um possível cliente.

Procurada pela reportagem, a Sabesp, até agora, não se pronunciou sobre o caso.

Carregamento

Em meio à maior crise de abastecimento da história de São Paulo, milhares de litros de água potável são desviados, todos os dias, dos reservatórios da Sabesp. A reportagem da Rádio Bandeirantes descobriu toda a fraude e flagrou um carregamento de água, que deveria abastecer uma escola, sendo usado para lavar a calçada de uma construção.

Como os caminhões que fazem o transporte não são fiscalizados, litros e mais litros de água, que faltam nas torneiras, também são vendidos para encher piscinas.

Segundo funcionário da Sabesp, não há como fazer a fiscalização em todos os caminhões. “Eventualmente pode haver desvio”, afirmou sem se identificar.

Uma das transportadoras terceirizadas para levar água a escolas e creches vende para outros fins. Um ex-funcionário de uma dessas empresas relata o desvio. “É muita água que sai por dia para obras, encher piscinas particulares, uns 70%”.

O dono da empresa de transportes denunciada negociou, sem saber que estava gravado e achando que falava com um cliente, a venda de 20 mil litros de água da Sabesp. Ele chegou a cobrar R$ 500.

Nível do Sistema Cantareira chega a 11,7%

O volume de água da reserva técnica do Sistema Cantareira atingiu 11,7 %, segundo medição desta terça-feira da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp). Há um ano, o nível dos quatro reservatórios que compõem o Cantareira estava em 48,4%, descontada a reserva técnica.

Desde maio, o abastecimento em parte do estado passou a depender da reserva técnica ou volume morto – água que fica abaixo do nível de bombeamento. Com o reforço, os 182,5 bilhões de litros de água elevaram, na época, o total armazenado para 982,07 bilhões de litros. O Cantareira, que fornece água para 9 milhões de pessoas na Grande São Paulo e para as bacias dos rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí, sofre a maior falta de chuva de sua história.

A situação crítica levou a Sabesp, na semana passada, a solicitar à Agência Nacional de Águas (ANA) e ao Departamento de Águas e Energia Elétrica (Daee) autorização para ampliar a retirada de água da reserva técnica. Apesar de não haver necessidade de bombeamento adicional, segundo a Sabesp, a medida preventiva é para dispor de mais 106 bilhões de litros de água da reserva, especificamente da represa Jaguari/Jacareí.

Conta-Gotas

O Conta-Gotas, iniciativa da BandNews FM, mapeia as áreas onde falta água na capital paulista e na Grande São Paulo. O objetivo da ação é cobrar as autoridades os problemas causados pela estiagem no estado.

Veja, aqui, os locais onde há falta mais água. E aproveite para enviar sua reclamação.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo