Justiça do Trabalho marca audiência sobre greve da USP

Por Tercio Braga
Funcionários da USP decidiram nesta quarta pela continuidade da greve | Apu Gomes/Folhapress Funcionários da USP decidiram nesta quarta pela continuidade da greve | Apu Gomes/Folhapress

A Justiça do Trabalho marcou para esta quarta-feira uma audiência de conciliação com os funcionários da Universidade de São Paulo (USP), que estão em greve há mais de 80 dias. Nesta manhã, um protesto dos grevistas em conjunto com estudantes terminou em violento confronto com a Tropa de Choque da Polícia Militar. A audiência, marcada para as 14h, ocorre na sede do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região e será conduzida pela vice-presidenta Rilma Aparecida Hemetério.

Segundo o diretor do Sindicato dos Trabalhadores da USP (Sintusp) Magno de Carvalho a convocação da audiência não intimidou os funcionários. Em assembleia no final da manhã desta quarta-feira, a votação pela continuidade da greve foi unânime de acordo com ele.

A categoria reivindica reajuste salarial, o fim da suspensão de 35% no corte na verba destinada ao ensino e à pesquisa, também a contratação de professores e funcionários. Eles são contra o corte de ponto feito neste mês e a transferência dos hospitais universitários da instituição para a Secretaria Estadual de Saúde. “É um conjunto de coisas que vai resultar no sucateamento da universidade. A gente acha que o objetivo é sucatear para depois privatizar, o que ocorreu com o ensino fundamental e médio. Esta luta nossa é uma resistência contra esse projeto”, declarou Magno.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo