Jovens acusados pela morte de cinegrafista vão a júri popular

Por Nadia
Santiago Andrade teve morte cerebral declarada nesta segunda-feira | Arquivo pessoal Santiago Andrade foi atingido por um rojão durante uma manifestação | Arquivo pessoal

Os dois jovens acusados pela morte do cinegrafista Santiago Andrade, atingido por um rojão durante uma manifestação em frente à Central do Brasil, vão a Júri Popular. A decisão foi divulgada nesta quarta-feira (19) pelo juiz Murilo Kieling, titular da 3ª Vara Criminal do Rio de Janeiro. Caio Silva de Souza e Fábio Raposo Barbosa são acusados de terem acendido o rojão que atingiu Santiago na cabeça no dia 6 de fevereiro. O cinegrafista acabou morrendo poucos dias depois, em 10 de fevereiro.

De acordo com nota, divulgada na página do Tribunal de Justiça na internet, os dois jovens respondem por homicídio triplamente qualificado: motivo torpe, uso de explosivo e mediante recurso que tornou impossível a defesa da vítima. O juiz decidiu manter os réus presos e a data do júri somente será marcada após o julgamento dos possíveis recursos impetrados pela defesa.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo